Porto Velho (RO) segunda-feira, 24 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Resultados do projeto Rochas Carbonáticas do Estado de Rondônia são apresentados em Porto Velho



O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), em parceria com o governo de Rondônia, lançou na quinta-feira (23), na sede do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Rondônia (Sinduscon), em Porto Velho, os resultados do Projeto Rochas Carbonáticas do Estado de Rondônia.

Gente de Opinião

O calcário é o principal insumo usado como corretivo da acidez dos solos, portanto, é indispensável para a agricultura

O calcário é o principal insumo usado como corretivo da acidez dos solos, portanto, é indispensável para agricultura, fator determinante dos preços finais da produção agrícola. Entre as particularidades dos calcários de Rondônia, destaca-se a presença de cobre, em alguns casos maior que 10%, devido à presença de malaquita e calcocita, e de teores de manganês.

O estudo teve início em 2012, com a participação da Secretaria de Agricultura (Seagri), e reúne informações de relevante interesse para o setor mineral em Rondônia, enfocando dados geológicos, potencialidades minerais, direitos minerários, aspectos ambientais, socioeconômicos e de infraestrutura, tendo como alvo as ocorrências de rochas carbonáticas. Ao todo, foram investigados seis alvos: o Pimenta Bueno, que compreende a mina de calcário Felix Fleury da CMR, descoberta pela CPRM no fim da década de 1970 e seus arredores; Alto Alegre dos Parecis, Chupinguaia, Parecis e Nova Brasilândia do Oeste. Apenas no Alvo Abunã não foi encontrada ocorrência de calcário.

A CPRM realizou levantamentos espeleológicos na mina de calcário Félix Fleury com o objetivo de obter melhor entendimento do sistema cárstico presente e das limitações exploratórias que o patrimônio natural ali existente impõe à atividade minerária. Nessa região, encontra-se a maior e mais importante caverna de Rondônia, com biota própria e especial.

Na área da mina de calcário Félix Fleury também foi realizado levantamento geofísico terrestre por meio do emprego da técnica da eletrorresistividade, com o arranjo dipolo-dipolo, cujo objetivo foi avaliar a existência de cavidades subterrâneas e outras descontinuidades existentes em sub superfície numa extensão da área da principal frente de lavra, atualmente desativada.

Também foram avaliadas as condições de carstificação nos demais alvos potenciais com a pretensão de reconhecer os seus fatores condicionantes e, ao mesmo tempo, inventariar novas cavidades naturais subterrâneas e outros elementos naturais associados, protegidos por lei, antecipando orientações de boas práticas ambientais a fim de aproveitar o recurso mineral da melhor forma.

“Seja qual for a atividade, pecuária, agricultura, hortifrutigranjeiro ou a piscicultura, pode ser utilizado o calcário. Hoje não precisamos de grandes áreas para ter renda, mas, sim, incorporar tecnologias e correção”, explica o titular da Seagri, Evandro Padovani.

Com este produto, o Estado de Rondônia conta com mais um instrumento para orientar novos investimentos de empresas interessadas na produção de calcário agrícola e pesquisa mineral de rochas carbonáticas. Nesse sentido, o relatório se projeta como referência para o planejamento de novos investimentos, o que acrescenta importância ao presente trabalho.

SOBRE A CPRM

Trata-se de uma empresa pública, vinculada ao Ministério de Minas e Energia, com a missão de gerar e difundir o conhecimento geológico e hidrológico básico necessário para o desenvolvimento sustentável do País. Produtos, pesquisas e serviços são elaborados com o objetivo de fomentar a mineração, prevenir, remediar e mitigar os eventos extremos, promover o desenvolvimento sustentável do território e aumentar a disponibilidade hídrica.


Fonte
Texto: Maiza Moreira Ribeiro Martarole
Fotos: Dhiony Costa e Silva
Secom - Governo de Rondônia

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat