Porto Velho (RO) terça-feira, 12 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Reserva federal garante vida de seringueiros


O reconhecimento das populações tradicionais como beneficiárias da Reforma Agrária tem mudado vidas em Rondônia. É o caso das famílias de seringueiros da região do Rio Novo, em Guajará-Mirim, que ganharam acesso aos programas do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) com a criação da Reserva Extrativista (Resex) Barreiro das Antas, em 2001. "O Incra deu muito direito para nós", diz João Ferreira Lopes, seringueiro há 40 anos e morador da Resex.

Com a criação da reserva, além de terem seu lar conservado, os seringueiros receberam do Incra benefícios que possibilitaram a vivência digna de seus filhos. Foram R$ 7,4 mil em créditos para cada família construir ou reformar sua casa e mais de R$ 69 mil, do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), para compra de equipamentos e abertura de estradas de seringa.

O resultado dos investimentos está na ponta da língua do morador. "Melhorou bastante a vida, principalmente com o dinheiro que peguei agora. Na cidade não é bom, aqui já tô acostumado", diz Sebastião Jacome Lopes.  

Proteção é sustento
"Vamos preservar nossa reserva em flor. Vamos preservar nossa reserva com muito amor". Os versos de Rosanilde Ferreira de Melo, moradora do Barreiro das Antas, mostram que o respeito aos recursos naturais faz parte do dia-a-dia dessas famílias, afinal, precisam da floresta em pé para se sustentar. Como fiscais, os moradores zelam pela natureza. "Cuidamos para não entrar nenhum destruidor e se chega alguém novo, primeiro tem que ser aceito pela Associação", explica José Maria Jacome Lopes, líder comunitário.

Mas não é de agora que o seringueiro tem essa relação hamoniosa com a natureza. "Todas as reservas extrativistas nasceram da luta dos seringueiros, é por isso que cada um tem seu lugar hoje", revela José Maria dos Santos, ex-seringalista, hoje funcionário do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Foi pelo desejo de ter suas "colocações" preservadas por lei que o movimento de Chico Mendes impulsionou a criação da primeira reserva extrativista, em Xapuri, no Acre. Hoje, a exemplo das outras trinta reservas federais, os moradores do Barreiro das Antas dão uma verdadeira lição ambiental, aprendida na vida. "Isso é nosso, meu irmão, nós temos que preservar", conclui a poeta Rosanilde.  

Fonte: Vanessa Ibrahim

Mais Sobre Meio Ambiente

Jaguatirica, raposas e cobras: Semma cuida e devolve à Natureza 14 animais silvestres em outubro com parceria de órgãos ambientais

Jaguatirica, raposas e cobras: Semma cuida e devolve à Natureza 14 animais silvestres em outubro com parceria de órgãos ambientais

No mês de outubro a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), atuou em diversos casos para resgate, cuidado e devolução de animais silvestres enc

Follador pede a IBAMA e SEDAM para Controlar a reproção de capivaras

Follador pede a IBAMA e SEDAM para Controlar a reproção de capivaras

A exemplo das Instruções Normativas nº 12/2019 e 03/2013, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que decre

Raniery afirma que REDD+ gera oportunidades para a Amazônia

Raniery afirma que REDD+ gera oportunidades para a Amazônia

O presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac e vice-presidente da CNC, Raniery Araujo Coelho, participou na manhã de ontem (23), do Seminário REDD+ O

Aberta a votação on line para o Prêmio Municiência

Aberta a votação on line para o Prêmio Municiência

Está aberta a votação para o Prêmio Municiência 2019. A Prefeitura de Cacoal está entre os 10 municípios classificados e concorre com o Programa de re