Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Reforma agrária beneficia ribeirinhos


Reconhecer os direitos das populações tradicionais é uma nova e eficaz forma de fazer a Reforma Agrária em Rondônia. No caso das 10 famílias de seringueiros da Reserva Extrativista (Resex) Barreiro das Antas, a 8 horas de barco de Guajará-Mirim, a condição de assentado garantiu acesso aos programas do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Com a criação da reserva, em 2001, além de terem a floresta protegida por lei, os seringueiros receberam do Incra benefícios que possibilitaram uma boa vida para suas companheiras e filhos. Foram R$ 7,4 mil em créditos para cada família construir ou reformar sua casa e, só em 2006, mais de R$ 69 mil do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para compra de motores, casa de farinha, abertura de estradas de seringa e piques de castanha e investimento na plantação de mandioca.


O resultado dos investimentos está na ponta da língua dos moradores. "O Incra deu muito direito para nós", diz João Ferreira Lopes, seringueiro há 40 anos e morador da Resex. "Melhorou bastante a vida, principalmente com o dinheiro que peguei agora. Na cidade não é bom, aqui já tô acostumado", confirma Sebastião Jacome Lopes.

 

Harmonia com a natureza

"Vamos preservar nossa reserva em flor. Vamos preservar nossa reserva com muito amor". Os versos de Rosanilde Ferreira de Melo, moradora do Barreiro das Antas, mostram que o respeito aos recursos naturais faz parte do dia-a-dia dessas famílias, afinal, precisam da floresta em pé para se sustentar. Como fiscais, os moradores zelam pela natureza. "Cuidamos para não entrar nenhum destruidor e se chega alguém novo, primeiro tem que ser aceito pela Associação", explica José Maria Jacome Lopes, líder comunitário.

Mas não é de agora que o seringueiro tem essa relação de harmonia com a natureza. "Todas as reservas extrativistas nasceram da luta dos seringueiros, é por isso que cada um tem seu lugar hoje", revela José Maria dos Santos, ex-seringalista, hoje funcionário do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Foi pelo desejo de ter suas "colocações" preservadas por lei que o movimento de Chico Mendes impulsionou a criação da primeira reserva extrativista, em Xapuri, no Acre. Hoje, a exemplo das outras trinta reservas federais, os moradores do Barreiro das Antas dão uma verdadeira lição ambiental, aprendida na vida. "Isso é nosso, meu irmão, nós temos que preservar", conclui a poeta Rosanilde.  

Fonte: Venessa Ibrahin - INCRA

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre