Porto Velho (RO) sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Prefeitura lança campanha para reaproveitar óleo e fabricar sabão ecológico


 
    A prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric), lançou a campanha “Vamos Cuidar das Nossas Águas?”. O lançamento da campanha ocorreu na última sexta-feira (22), quando foi comemorado o Dia Mundial da Água. No mesmo dia foi colocado em ação mais um projeto inovador com objetivo de beneficiar principalmente as famílias afetadas pela enchente do Rio Madeira – a fabricação caseira de sabão ecológico.

    O projeto que visa incentivar a fabricação do sabão ecológico tem como ponto principal o aproveitamento de óleo descartado, para evitar que seja lançado ao solo, rios e igarapé, contaminando ainda os mananciais e lençóis freáticos. Com o apoio de vários parceiros, o óleo é recolhido e armazenado. Parte dele é levado para os abrigos, aonde as famílias participam de oficinas ministradas por técnicos da Semagric e aprendem a fazer o sabão. “Essa é uma forma de gerar renda e atividade para essas pessoas”, afirma o secretário Leonel Bertolin.

    A primeira oficina para ensinar famílias desabrigadas pela enchente a fazer sabão ecológico foi realizada na tarde de segunda-feira (24), na Igreja São João Bosco, zona Norte de Porto Velho. Ontem, 28) e aconteceu nova oficina, e contemplou os desabrigados que estão alojados no Centro Salesiano do Menor, no bairro Areal, região Central da cidade. De acordo com Leonel Bertolin, os demais abrigos também serão contemplados conforme agenda estabelecida pela Semagric.

    Depois de capacitar os interessados, a equipe técnica fornece a receita e material suficiente para fabricarem o sabão pela primeira vez. Equipamentos de proteção individual (EPI) também são fornecidos para que as pessoas não sofram acidente durante a manipulação dos produtos. “Com o dinheiro que arrecadarem poderão comprar materiais para fabricar mais sabão”, completa. O secretário ainda acrescenta que o projeto faz parte do programa da prefeitura para incentivar e fortalecer as agroindústrias na capital rondoniense.

Ecopontos

    A Campanha ainda consiste na instalação de “Ecopontos” destinados à coleta de óleo descartável e realização de oficinas também nas faculdades e escolas públicas. “Os pontos de coleta são os parceiros que estão engajados pela campanha em prol do nosso planeta e da sustentabilidade em nosso município”, declara o titular da Semagric. Um deles funciona na Escola Rio Branco, na Rua Rafael Vaz e Silva, bairro Nossa Senhora das Graças, que já recolheu três mil litros de óleo que seriam descartados na natureza.

Outros “Ecopontos” funcionam no Colégio Tiradentes, Escola Flora Calheiros Cotrin, Escola São Pedro, Faculdade São Lucas e Lavin Higienização. “Várias instituições se uniram para criar, sob a coordenação da Semagric e com apoio de empresários, instituições de ensino e sociedade civil, o Movimento de Cidadania pelas Águas de Rondônia”, diz Bertolin.

Danos

    O descarte irregular do óleo pode causar vários problemas ambientais, como a contaminação de rios e lençóis freáticos, coloca em risco a vida aquática, compromete a alimentação humana, impermeabiliza fossas sépticas e entope tubulações e encanamentos, dentre outros problemas.

Fonte:  Augusto José

Mais Sobre Meio Ambiente

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

O Brasil tem 790 barragens de rejeitos de minérios, e mais de 300 delas não foram classificadas em relação ao seu risco de rompimento e ao potencial d

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Os R$ 4 milhões também servirão para elaborar o Plano Municipal de Saneamento Básico e o Plano de Gerenciamento de Resíduos SólidosMais uma vitória im

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Ontem (31/01), a Fundação SOS Mata Atlântica deu início à Expedição Paraopeba, que irá percorrer 356 km deste rio, de Brumadinho à Hidroelétrica Retir

ADVOGADO DA EMPRESA DIZ,  "A VALE NÃO É A RESPONSÁVEL POR BRUMADINHO E DIRETORIA NÃO SE AFASTARÁ"

ADVOGADO DA EMPRESA DIZ, "A VALE NÃO É A RESPONSÁVEL POR BRUMADINHO E DIRETORIA NÃO SE AFASTARÁ"

Um dos mais importantes advogados da Vale, Sergio Bermudes, apresentou de público a visão da companha sobre o crime de Brumadinho: a companhia não é r