Porto Velho (RO) quinta-feira, 19 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Para Lula, PAA fortalece agricultura familiar


 
Brasília, 25 – “Gente que passa a ter vida mais digna, a acreditar na terra”. Foi assim que o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, destacou a relevância do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA) para os agricultores familiares. Lula participou na manhã desta quinta-feira (25), do 3º Seminário Nacional do PAA, que acontece até a próxima sexta-feira (26), no Hotel Nacional, em Brasília (DF).

O presidente destacou a importância do Programa no combate à fome e a insegurança alimentar. “São 160 mil agricultores familiares que, por ano, têm mercado garantido para a sua produção.” Segundo Lula, mais de 3 milhões de toneladas de alimentos já chegaram à mesa de 15 milhões de pessoas que viviam em risco de insegurança alimentar.

Participam do PAA 25 mil instituições que são beneficiadas com os alimentos, entre escolas, creches, asilos, hospitais e Restaurantes Populares. Segundo o presidente, o PAA conseguiu cumprir seu papel: diversificar a produção, fortalecer a agricultura familiar e garantir soberania alimentar. Lula também destacou a nova relação que o Programa criou entre o Estado brasileiro e a sociedade. Segundo ele, o sucesso do PAA é decorrente da decisão do diálogo com a sociedade civil.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Márcia Lopes, explicou que o PAA está em todo território nacional. “Faz o alimento chegar à cidade”, afirmou. Ela destacou a importância da parceria com os ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA), da Pesca e Aquicultura e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) como “fundamental para a consolidação do PAA”.

De acordo com a ministra Márcia Lopes, 350 tipos de alimentos da agricultura familiar são fornecidos pelo Programa. Para ela, o PAA demonstra que “é possível transformar a realidade brasileira”.

Balanço do PAA – O primeiro painel da manhã desta quinta-feira (25) abordou o tema Programa de Aquisição de Alimentos no Âmbito da Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional: Avanços e Resultados. Participaram o diretor de Geração de Renda e Agregação de Valor da Secretaria de Agricultura Familiar (SAF/MDA), Arnoldo de Campos; o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Silvio Porto; o diretor do Departamento de Apoio à Produção Familiar e ao Acesso à Alimentação do MDS, Marcelo Piccin; e a pesquisadora Emma Siliprandi.

O diretor da SAF/MDA apresentou um balanço do Programa referente ao período 2003-2009. “O PAA tem a finalidade de promover o direito humano à alimentação adequada, no contexto da segurança alimentar e nutricional”, destacou Campos. Segundo ele, os recursos para o PAA saltaram de mais de R$ 144 milhões (em 2003) para R$ 807 milhões em 2010. Em 2003, participavam do Programa 42 mil agricultores familiares e, para 2010, a estimativa é de 213 mil. O número de beneficiados também aumentou de 226 mil pessoas (2003) para 18 milhões de atendimentos.

O PAA está presente em 2,3 mil municípios brasileiros e opera com quatro modalidades: Compra Direta da Agricultura Familiar, Formação de Estoques, Compra para Doação Simultânea e Programa do Leite, Incentivo à Produção e Consumo de Leite. Dessas modalidades, a que mais executou recursos no período entre 2003 e 2010 foi a Compra com Doação Simultânea, com 39% do recursos.

O diretor do MDS fez um balanço do programa. Segundo ele, o PAA paga 30% a mais para os produtos de origem orgânica e agroecológica. “O desafio é incluir mais produtos”, afirma.

Os beneficiários da doação dos alimentos pelo PAA são os segmentos em situação de insegurança alimentar. Segundo Piccin, das entidades beneficiadas com a modalidade da Doação Simultânea, 31% são escolas e 18,2% são associações beneficentes. “Mas temos que avançar mais”, alerta o diretor. Segundo ele, é preciso haver um salto de qualidade e avançar na intersetorialidade do Programa. Para Piccin, é necessário melhorar a base de dados e ampliar e qualificar a participação e o controle social. Entre os desafios destacados, estão a busca por maior articulação com outras políticas, programas e ações como a implantação do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), as ações e programas de agroindustrialização da produção familiar e ampliação dos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

O 3º Seminário Nacional do PAA segue, à tarde, com oito oficinas que abordarão o PAA como estratégia de promoção da soberania alimentar entre os povos e comunidades tracionais; o PAA e o fortalecimento das organizações da agricultura familiar; o PAA e a autonomia econômica das mulheres; o PAA como estratégia de abastecimento dos equipamentos públicos de alimentação e nutrição e da rede socioassistencial; o PAA nos assentamentos da reforma agrária; a participação e o controle social no PAA; o PAA e a estruturação de redes de comercialização; e o PAA e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) – ações integradas de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN).

Fonte: MDS

 

Mais Sobre Meio Ambiente

Sistema Fecomércio participa do Lançamento do Amazônia + 21

Sistema Fecomércio participa do Lançamento do Amazônia + 21

O Presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE e Vice-Presidente da CNC, Raniery Araujo Coelho esteve no Lançamento do Fórum Amazônia + 21, ocorri

Pesquisadores descobrem complexo arqueológico na Amazônia Central

Pesquisadores descobrem complexo arqueológico na Amazônia Central

As crônicas de Gaspar de Carvajal, padre espanhol que navegou pelo rio Amazonas no século 16, descrevem uma área repleta de aldeias indígenas. ”Enco

Não faz o dever de casa - Enquanto Macron luta pela Amazônia, políticas ambientais da França desapontam

Não faz o dever de casa - Enquanto Macron luta pela Amazônia, políticas ambientais da França desapontam

O presidente francês, Emmanuel Macron, recebeu elogios por colocar os incêndios florestais na Amazônia no topo da agenda global, mas em casa os defens

Mais de 50 técnicos do Estado participam de curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território do projeto Plantar

Mais de 50 técnicos do Estado participam de curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território do projeto Plantar

Foi concluído nesta sexta-feira, em Porto Velho, o curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território, voltado a técnicos da Empresa de Ass