Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

PANOBIANCO: Fumaça volta a castigar Rondônia


Além dos focos de queimadas registrados por todo o Estado, agora, a intensa propagação de fogo na Bolívia ajuda na piora da qualidade do ar, com a intensificação da camada de fumaça e poluentes.

Daniel Panobianco – Grande parte da Bolívia enfrenta um de seus piores períodos de incêndios florestais dos últimos tempos. O fogo não só avança com força total, como também atinge uma área em extensão territorial jamais vista antes. Várias localidades próximas a Santa Cruz de La Sierra, Viru-Viru e Trinidad já estão com focos de queimadas muito próximos à zona urbana, colocando em risco boa parte da população.

O vento que sopra em médios níveis da atmosfera vai de norte para noroeste levando boa parcela da fumaça para Estados como Acre e Rondônia, que também registram muitos focos de queimadas, apesar de estarem proibidas por decreto judicial.

A visibilidade em Rondônia voltou a piorar muito nos últimos dias. Em Vilhena, os finais de tarde têm tido visibilidade horizontal de apenas 1000 metros, o que já é considerado como Estado de Emergência. Em Guajará-Mirim, na fronteira com o País vizinho, o dia está amanhecendo com valores de até 200 metros de visão natural, que, além da poluição registra uma ilha de calor com máximas que beiram os 40°C todas as tardes.

Mesmo com a chuva caindo em várias cidades nos últimos dias, a poluição não dá trégua na parte sul da Amazônia. Desde julho, o céu não fica azul por completo na região e agora na reta final, todo cuidado é pouco com relação à fumaça e as queimadas. Como há uma quantidade absurda de fogo no País vizinho, Rondônia, principalmente a região de Costa Marques, que registra a maior quantidade de queimadas no momento, pode sofrer e muito, caso a atmosfera não mude tão logo.

A estiagem ainda não acabou em Rondônia, o que contraria os prognósticos do centro de pesquisas SIPAM, que em julho assegurou a população local não temer com seca esse ano na região, pois tudo seria normal. A resposta vem agora com as imagens e fatos reais, cujos pesquisadores somem do mapa ao comentar. Dados: NOAA/NASA 
Fonte: De olho no tempo – Rondônia – www.deolhonotempo.com.br


Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Neste ano em que completa 35 anos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) comemora o impacto do trabalho

Megaoperação destrói infraestrutura criminosa na Terra Indígena Yanomami

Megaoperação destrói infraestrutura criminosa na Terra Indígena Yanomami

As Forças de Segurança do governo brasileiro estão em ação conjunta ao redor e dentro da Terra Indígena Yanomami para impedir atividades criminosas

Projeto do CIMCERO e TJ-RO amplia estrutura para beneficiar viveiros em Rondônia

Projeto do CIMCERO e TJ-RO amplia estrutura para beneficiar viveiros em Rondônia

A parceria entre o Consórcio Público Intermunicipal de Rondônia (CIMCERO) e o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia tem incentivado junto as pre

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)