Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Mercado de carbono negro cresce no mundo




Por Sabrina Domingos
do Carbono Brasil 
 

A expansão das indústrias de borracha e de pneus será o principal motor para o crescimento do uso de carbono negro no mundo, pois responde por 90% da utilização desta substância, afirma um relatório divulgado pela Global Industry Analysts no início de novembro.

No entanto, quando liberado na atmosfera durante a combustão incompleta de combustíveis fósseis, madeira (formando fuligem) ou de biomassa, o carbono negro colabora para o aumento das temperaturas, pois absorve a radiação solar, impedindo que seja refletida para fora da atmosfera.

O carbono negro, uma forma impura de carbono, compõe nuvens marrons de até cinco quilômetros de espessura e que viajam longas distâncias pela atmosfera terrestre, onde se mistura com aerossóis, nitratos, sulfatos e cinzas.

Um artigo publicado na revista Nature, no início deste ano, afirma que a concentração de carbono negro na atmosfera é a segunda maior causa do aquecimento climático depois das emissões de dióxido de carbono (CO2).

Mercados Lucrativos
 
Apesar de maléfico quando livre na atmosfera, o carbono negro possui muitas utilidades industriais, servindo de matéria-prima para pneus, tintas, revestimentos e borrachas.

Segundo o relatório, os maiores e mais lucrativos mercados para o carbono negro nos próximos anos serão as economias em desenvolvimento da Ásia, do Oriente Médio, da África e América Latina, onde o aumento da renda da população está criando uma grande demanda por automóveis e outros objetos de consumo.

A aplicação do carbono negro em pneus está prevista para crescer a uma taxa composta anual de 3,6% entre 2001 e 2010. Só o mercado norte-americano de carbono negro consome 1,6 milhão de toneladas métricas por ano.

A região Ásia-Pacífico representa o maior público para o carbono negro no mundo, com 37% do mercado. Em países desenvolvidos como Estados Unidos e Europa a demanda está reduzida, apesar do uso de algumas especialidades de carbono negro estarem crescendo nessas regiões.

A expectativa do Global Industry Analysts é de que o uso de carbono negro em pinturas, revestimentos e tintas tenha um grande aumento nos próximos cinco anos; assim como em aplicações de produtos sem borracha, que utilizam especialidades de carbono negro.

Os plásticos e as tintas para impressoras também ocuparão grande parte do mercado de carbono negro especial. Outra área em que a aplicação do produto está crescendo é a de metalurgia – pois o carbono negro oferece maiores margens de lucros do que os ingredientes atuais provenientes das fornalhas.

A indústria automotiva é uma grande contribuinte para a atividade econômica global e o seu tamanho causa sérios impactos a diversos setores industriais. A instalação de novas fábricas na China, América do Sul e Europa Central ocorre principalmente porque os fabricantes encontram nessas regiões uma oportunidade para desenvolver o negócio e tirar vantagens das operações locais.

Como resultado, surgem indústrias de pneus nas proximidades das fábricas de automóveis – o que consolida o cenário de produção global de carbono negro.


Fonte: Envolverde/CarbonoBrasil

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat