Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Ibama diz que novo local da Usina de Jirau não trará impactos ambientais maiores



Sabrina Craide
Agência Brasil
 

Brasília - A mudança no local de construção da Usina Hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira (RO) não vai causar impactos ambientais maiores na região do que os previstos anteriormente. A conclusão é do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O presidente do órgão, Roberto Messias, anunciou hoje (13) que a licença de instalação para o canteiro de obras da Usina será publicada amanhã.

Segundo Messias, os estudos realizados pelo Ibama mostraram que o impacto ambiental gerado pelo novo projeto é semelhante ao previsto anteriormente. "A diferença na localização não significou nenhuma piora comprometedora", afirmou.

A mudança no local da construção da Usina foi anunciada pelo consórcio Energia Sustentável do Brasil, logo após ter sido anunciado  vencedor do leilão do empreendimento. Segundo o consórcio, a medida deve diminuir os custos e também os impactos ambientais, além de acelerar o cronograma da obra.

Messias garantiu que, apesar da pressão dos empreendedores para que a licença fosse concedida antes do início das chuvas no Norte do país, o trabalho do Ibama não foi comprometido. "Temos um cuidado extremos com o patrimônio natural, e não fomos açodados [apressados]", disse.

De acordo com o presidente do Ibama, se alguma condição imposta aos empreendedores não for cumprida, a licença poderá ser revogada.

A Agência Nacional de Águas (ANA) já autorizou a construção da ensecadeira (contenção das águas do rio durante o processo de instalação da usina ) e a retirada de água do Rio Madeira para atender às necessidades do canteiro de obras. Mas, segundo o Presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), José Machado, a outorga final para a obra vai depender da apresentação de um projeto para a construção de eclusas no local.

"Queremos saber se o empreendedor contemplou no seu projeto uma solução para o transporte [fluvial]", disse. A outorga da ANA é necessária para que o Ibama possa conceder a licença de instalação para todo o empreendimento.


 

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat