Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Governo do Amazonas apresenta plano de prevenção ao desmatamento



Amanda Mota
Agência Brasil

Manaus - O governo do Amazonas apresentou ontem (5), em Manaus, o Plano Estadual de Prevenção e Combate ao Desmatamento. Criado para promover ações de preservação das áreas de floresta no estado, o plano foi divulgado durante a abertura da 1ª. Conferência Latino-Americana de Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais e será encaminhado ao ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc.

Entre as ações propostas estão a valorização dos serviços ambientais florestais, a implementação de projetos de energias limpas e o fortalecimento da gestão ambiental. A intenção é que o plano possa contar com recursos do Fundo Amazônia, criado pelo governo federal no mês de agosto para investir na redução de desmatamento da Amazônia.
Nos últimos anos, a preservação da floresta tem recebido atenção do governo federal por ter relação direta com as mudanças climáticas. A redução emissões de carbono na região é uma das alternativas apontadas por ambientalistas para garantir o controle necessário às mudanças climáticas.

O especialista em florestas e clima da organização não-governamental WWF, Anthony Anderson, ressaltou que o governo federal tem uma grande missão no sentido de preservar as florestas. Segundo ele, de 15 a 25% das emissões de carbono são provenientes do desmatamento florestal.

"O carbono na atmosfera exerce uma função de efeito estufa. Diante disso, a conservação de florestas tropicais seria uma estratégia bastante interessante para podermos reduzir as emissões para a atmosfera. Isso ainda não foi aprovado internacionalmente, mas são excelentes as perspectivas para incluir essa possibilidade no novo tratado de clima, que será divulgado após 2012", disse Anderson à Agência Brasil.

Para reverter o quadro da degradação florestal e os efeitos negativos das mudanças climáticas, avaliou Anderson, são necessárias diversas ações integradas dos governos federal, estadual e municipal em conjunta com a sociedade civil. Ele reconheceu a importância de programas nacionais para a diminuição do desmatamento nos últimos anos, mas destacou alternativas que ainda precisam ser emplacadas, como o comércio de créditos de carbono.

"Uma estratégia fundamental, nesse sentido, é valorizar a floresta em pé. Valorizar o carbono que a floresta contém, é uma forma de valorizar essa própria floresta. Países como a Noruega já estão prontos para pagar pelo serviço de armazenamento de carbono que a floresta faz", assinalou Anderson.

Na avaliação do analista ambiental da Secretaria de Mudanças Climáticas do Ministério do Meio Ambiente, Adriano Oliveira, o crédito de carbono pode ser uma saída para a preservação da Amazônia e também para auxiliar a combater a mudança do clima no planeta. Para ele, contudo, a sociedade ainda não compreende o que podem representar as mudanças climáticas decorrentes do desmatamento florestal.

"O mecanismo de desenvolvimento limpo, que gera os créditos de carbono, é um instrumento que os países em desenvolvimento devem utilizar para ajudar os países desenvolvidos a atingirem suas metas de redução acordadas no protocolo de Kioto. Cada vez mais a sociedade tem que se envolver nos debates e fazer a coisa certa, tomando as medidas necessárias", acrescentou Oliveira.

A estudante universitária do curso de Geografia da Unifersidade Federal do Amazonas, Juliana Alves, concorda com a opinião do representante do Ministério do Meio Ambiente. Para ela, a sociedade ainda não entende o que significam as mudanças climáticas. "Falta melhor divulgação desses assuntos e essa questão de mudanças climáticas, por exemplo, ainda precisam ser melhor compreendidas", avaliou a universitária.

A 1ª. Conferência Latino-Americana de Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais será realizada até sexta-feira (7) e é promovida pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do estado. De acordo com a secretária Nádia Ferreira, a conferência vai garantir a ampliação das discussões relacionadas ao tema e também viabilizar a criação do Fórum Amazonense de Mudanças Climáticas.

 


 

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre