Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Gado na Amazônia aumentou 88% em 16 anos


 
Crescimento foi motivado pela ocupação de terras ilegais e créditos subsidiados

Aldrey Riechel

Relatório divulgado hoje pelo Instituto do Homem e do Meio Ambiente na Amazônia (Imazon) mostra que o rebanho bovino na Amazônia Legal representa 36% do gado em todo o país, um crescimento de 88% entre 1990 e 2006.  Denominado "A Pecuária e o Desmatamento na Amazônia na Era das Mudanças Climáticas", o estudo revela que a pecuária é a principal ocupação das áreas desmatadas na Amazônia e que deve ser prioridade das políticas públicas para a redução da emissão de gases de efeito estufa. Clique e Leia arquivo em PDF

"Entender a pecuária é peça chave para entender o desmatamento", comenta um dos pesquisadores responsável pelo estudo, Paulo Barreto.  Segundo ele, um dos fatores importantes para entender a expansão é o crédito subsidiado.  "Tem fatores bem regionais ligados aos créditos subsidiados, mesmo que esse crédito não seja destinado oficialmente existem estudos mostrando que tem uma relação com o desmatamento", afirma Barreto.

Outro fator considerado chave para entender a expansão da cultura é a ocupação irregular da região, "nas fronteiras da Amazônia a pessoa forma uma fazenda e começa a atividade ocupando uma terra pública indevidamente, isso faz com que o lucro seja anormal e facilita uma expansão maior na região" esclarece o pesquisador.

Para Barreto, a perspectiva é que a demanda mundial por carne seja ainda maior.  "A tendência é que aumente, porque há países que estão crescendo economicamente e que estão consumindo mais carne", afirma ele, baseando-se nas projeções da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

De acordo com o pesquisador, é possível encontrar uma solução para aumentar a produção sem que seja preciso desmatar novas áreas.  O governo vem tomando essas ações, mas em 2006, as medidas para reduzir o desflorestamento tiveram poucos resultados, pois a redução da taxa de desmatamento foi concomitante à queda de preços do gado e/ou da soja, segundo aponta o relatório.  O aumento do desmatamento no fim de 2007, associado ao aumento de preço do gado e soja, levou o governo federal a reforçar medidas contra o desmatamento em 2008.  Barreto afirma que em junho e julho estas medidas começaram a repercutir, mas que ainda não existe um estudo sobre isso.

Destino da carne

A produção de carne a partir de gado da Amazônia ficou em torno de 2,8 milhões de toneladas em 2005, segundo o estudo.  Estima-se que os frigoríficos que passaram pelo Serviço de Inspeção Federal destinaram 95% da produção para o mercado nacional e 5% para outros países.

Dois milhões de toneladas, ou 71%, foram processados por 65 frigoríficos inspecionados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) conforme o levantamento de campo realizado em 2005 e o restante, cerca de 800 mil toneladas, foi comercializado como boi vivo e a carne processada por frigoríficos com inspeção estadual e por matadouros informais.

Fonte: Fonte: Amazonia.org.br
Link:
http://www.amazonia.org.br

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat