Porto Velho (RO) quinta-feira, 9 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

FLONA DO JAMARI: Amorim quer adiar licitação


Amorim informa Presidência das medidas tomadas pelo Governo, Ale e bancada contra licitação da Flona Jamari
 
As medidas judiciais que o Governo de Rondônia, Assembléia Legislativa e membros da bancada federal estão tomando para adiar a licitação das 90 mil hectares da Floresta Nacional (Flona) do Jamari, sob a condução do Serviço Florestal Brasileiro, órgão do Ministério do Meio Ambiente, estão sendo repassadas à Presidência da República, enfatizou hoje (24), durante discurso na Câmara Federal, o deputado Ernandes Amorim (PTB).

Um documento oficiando as medidas, como forma de assegurar maior participação dos interessados no Estado, ampla divulgação de novas audiências públicas e inserção de propostas, será entregue à ministra Dilma Rousselff (Casa Civil), na sexta-feira, pela manhã, durante sua apresentação, em Porto Velho, das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Amorim também enfatizou em discurso na Câmara, os protestos registrados na Assembléia Legislativa, na terça-feira, feitos pelo presidente da Casa, Neodi Oliveira (PSDC) e a deputada Daniela Amorim. Os dois reclamaram da falta de respeito do Serviço Florestal Brasileiro e outros órgãos ambientais no Estado, que realizaram duas audiências públicas na semana passada – em Cujubim e Itapuã do Oeste – para discutir a minuta do edital de licitação previamente marcado para ser publicado no dia 31 próximo.

“O absurdo é que as audiências são preconizadas na Lei de Gestão de Florestas Públicas, mas não foi feita divulgação, não foram convidados os parlamentares estaduais nem federais, nem Governo do Estado. Para lá, foram levadas, algumas pessoas, arrebanhadas por órgãos públicos federais, sob a promessa de empregos após a privatização da área. O que Governo, Assembléia e parlamentares federais queremos é respeito ao nosso Estado. Temos propostas, a população precisa participar e, infelizmente, não é isso que foi feito”, reclama Amorim.

Tanto ele quanto deputados estaduais e Governo, estão preocupados com o direcionamento da licitação para favorecer apenas grandes empreendimentos, sem discutir competências e fiscalizações da exploração também de sub-solo, medidas compensatórias. “As pessoas em Rondônia têm direito de participar. O governador Ivo Cassol, inclusive, já está criando o Instituto de Terras para providenciar regularização fundiária e reaver áreas transformadas em unidade federal sem anuência do Estado”, disse em discurso.
Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

Fonte: Yodon Guedes

Mais Sobre Meio Ambiente

Ji-Paraná: prefeitura encerra atividade no lixão e passa a utilizar aterro sanitário

Ji-Paraná: prefeitura encerra atividade no lixão e passa a utilizar aterro sanitário

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia), encerrou nesta segunda feira (06), as atividades no lixão munic

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto