Porto Velho (RO) segunda-feira, 24 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Estiagem coloca países do Cone Sul em alerta


 

Meteorologia acredita que seca histórica na Argentina e chuva irregular no RS podem estar relacionadas ao La Niña


Mesmo a chuva esperada para esta semana não deverá reduzir a gravidade da seca que atinge o sul do Brasil, o Uruguai e a Argentina.

No Rio Grande do Sul, 85 municípios já decretaram situação de emergência, enquanto os uruguaios sofrem com incêndios e os argentinos preveem perdas de US$ 4 bilhões devido às quebras de safra. No Rio Grande do Sul, é esperada chuva mais intensa na quarta.

Enquanto a Argentina sofre com a pior seca em 61 anos, para os gaúchos o grande problema é a má distribuição da precipitação. Em algumas cidades, como Porto Alegre, até choveu mais do que a média histórica para janeiro. Em compensação, na metade sul do Estado a chuva é escassa. Para o meteorologista do 8º Distrito de Meteorologia Gil Russo, o fenômeno La Niña (resfriamento das águas do Pacífico Equatorial) pode ajudar a explicar a situação.

– Quando isso ocorre, a tendência é de menos chuva nessa região, e mais no sudeste do Brasil – explica.

A crise argentina se tornou intensa em meados de 2008 e pode estar relacionada a outros fatores. Conforme o doutor em Ciências da Atmosfera argentino José Luis Aiello, a grave seca em seu país não pode ser explicada apenas pelo La Niña. Ele aponta fatores como o posicionamento de áreas de baixa e alta pressão atmosférica e fluxos de umidade de uma região para outra como possíveis razões para a situação, que combina a falta de chuva à alta temperatura – como os 36°C de Mar del Plata no fim de semana.

Embora as causas exatas da estiagem ainda gerem especulações, as consequências são claras: graves prejuízos às safras de arroz e trigo, na Argentina, incêndios que se multiplicam pelo Uruguai e dezenas de municípios gaúchos em situação de emergência. Neste início de semana, segundo o CPTEC, a chuva deve avançar pelo Cone Sul e amenizar a seca – mas não o suficiente para reverter a estiagem.

Fonte: ZERO HORA



Argentina enfrenta a pior seca em décadas

A Argentina enfrenta a pior seca em décadas em função do fenômeno La Niña. O governo informou que a presidente Cristina Kirchner deve retomar nesta sexta-feira, a elaboração de um pacote de medidas de auxílio ao campo. As províncias mais afetadas pela estiagem são Entre Rios, Chaco, Santiago del Estero, Chubut e San Juan. Conforme o jornal argentino El Cronista, as alternativas em estudo para amenizar as perdas na safra são três: adiar o pagamento de impostos sobre as exportações, oferecer um pagamento adicional por cada tonelada de soja produzida, e pagar uma indenização aos produtores afetados. Entidades agrícolas afirmam que o apoio de US$ 600 milhões a US$ 800 milhões prometido pelo governo é insuficiente, e lamentam a falta de diálogo entre governantes e produtores.

Conforme os ruralistas, cultivos de grãos e hortifrutigranjeiros podem ter perdas superiores a 50% em algumas das regiões afetadas. Pecuaristas também reivindicam auxílio — a falta de água no sul do país já provocou a morte de milhares de cabeças de gado. Na próxima terça integrantes do Ministério da Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentação da Argentina vão se reunir com representantes das províncias afetadas, do Ministério do Interior e da Economia, do Serviço Nacional de Meteorologia, do Banco da Nação Argentina e do Banco Central da Argentina. As principais organizações de produtores rurais também devem participar do encontro em busca de apoio.

Fonte: Daniel Panobianco/De Olho no tempo com informações da AP

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat