Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Din-din, macaxeira e muita perseverança representam Rondônia em Feira Nacional



A Associação Comunidade Grama Padre Claret gosta de ser empreendedora. Fundada há 18 anos, é a mais antiga de Nova Mamoré, também a única de agricultores familiares a comercializar produtos na região, além de investir na infra-estrutura mesmo com as dificuldades, tudo com preocupação ambiental. São essas características que garantiram a escolha da associação, que reúne assentados dos projetos Esmosina Pinho, Floriano Magno, Pau Brasil e agricultores do Distrito de Nova Dimensão, para representar Rondônia na V Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária, que acontece de 26 a 30 de novembro, no Rio de Janeiro. Din-din, macaxeira e muita perseverança representam Rondônia em Feira Nacional  - Gente de Opinião

"Muitos se inscreveram e é a terceira vez que conseguimos ir", comemora a secretária-geral Roseli Barbosa, que viaja com outros dez empreendedores selecionados pela Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário no estado. Os associados estão animados e trabalham para formar o estoque de 200 quilos de farinha de macaxeira que pretendem levar à feira. Além disso, a Grama pretende embarcar os tradicionais "din-din" de cupuaçu rondonienses, preparados de polpa congelada conhecidos em outros estados por nomes como sacolé, gelinho ou chupe-chupe.

Os dois produtos refletem bem a base de produção dos povos tradicionais da floresta e dos agricultores familiares do estado. Mas são uma pequena amostra da diversidade de produção da Associação, que também investe em leite, café, arroz e mel.

"Antes os associados só queriam investir no leite e temiam mexer com outras coisas, mas como a questão ambiental proíbe desmatar mais, para ampliar a produção e o lucro, só diversificando", explica o presidente Ecimar Viana Rosa. Assim, é possível garantir renda durante todo o ano, de acordo com a safra de cada produto, e também formar estoque para vender quando o preço está melhor.

União produtiva

Para garantir bons lucros, o associativismo é indispensável. Juntos, já investiram em frigoríficos para conservar as polpas, máquinas de beneficiamento de arroz, café e farinha, além de erguerem as sedes da cidade e do distrito. "Associados conseguimos mais recursos e melhor preço. A união faz a força", comemora Ecimar. O resultado vem em números. Em dois anos produzindo cupuaçu foram 100 toneladas de polpa e a última safra do café deu 1.350 sacas. Agora a intenção é expor todo esse trabalho. "A participação na feira expande mais a associação, mostra o que fazemos para o Brasil todo", revela Roseli.

Fonte: Incra/ Vanessa Ibrahim

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre