Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Capitania dos Portos emite “alerta vermelho” no rio Madeira


A longa estiagem que atinge todo o Estado de Rondônia coloca em risco a tráfego fluvial no rio Madeira entre Porto Velho e Manaus. A situação tende a piorar, pois o período de vazante está apenas na metade.
Daniel Panobianco – Mais uma prova do caos do clima em Rondônia neste ano. Embora as previsões dos especialistas locais fossem de neutralidade no período da seca, a imagem de agora do rio Madeira preocupa as autoridades. Segundo a Capitania dos Portos, a média histórica de baixa no Madeira é de 4,72, mas hoje, o mesmo não passa de 3,83 metros e continua diminuindo a cada dia.
Para o delegado fluvial Robson Aberdon, o alerta vale para todos que navegam dentro do canal hidroviário. Segundo ele, nunca foi tão perigoso navegar na hidrovia do Madeira.
O recorde de baixa ainda pertence ao ano de 2005, quando a Amazônia foi castigada pela pior estiagem dos últimos 60 anos. Há dois anos, o nível mínimo do rio chegou a 3,22 metros, apenas 70 cm a menos que a situação de agora.
A Capitania dos Portos faz um alerta e considera a atual situação como “alerta vermelho”, o mais alto grau de periculosidade na navegação em hidrovias. “Acontece que este ano, o período da vazante, o surgimento de bancos de areia é maior e o perigo de embarcações encalharem é muito grande”, comenta o delegado.
Vários incidentes já foram registrados nas últimas semanas no rio Madeira e o alerta prossegue. Na semana passada, uma balsa que saiu do canal de navegação, encalhou próximo a capital de Rondônia. A quantidade de bancos de areia e troncos de árvores presentes no Madeira assusta.
Como ainda estamos no período de vazante, a tendência é de que o nível do rio diminua ainda mais, podendo ficar até abaixo do valor registrado em 2005. A chuva em Rondônia que, ao contrário da previsão dos pesquisadores locais, não caiu em quantidade suficiente, teve um fator mais agravante, pois o período de seca começou quase dois meses antes da normalidade. Os dados do CPTEC/INPE (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos) do (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) vão contra a previsão dos centros de pesquisas locais, que julgam uma neutralidade da estiagem na porção sul-amazônica. A chuva deve demorar a voltar com intensidade esse ano, os volumes esperados, segundo o mesmo instituto, devem ficar ligeiramente abaixo da média climatológica, o que sugere total cautela da população local e mais competência a quem tem o papel de “cuidar” e “monitorar” esta parte do País. Devido à mesma baixa dos rios em Rondônia, muitas cidades já enfrentam racionamento de água potável, situação nunca registrada no Estado. A seca ainda está pela metade. Dados: CPTEC/INPE – Capitania dos Portos – CAERD - Fonte: De olho no tempo – Rondônia – wwwdeolhonotempo.blogspot.com

Capitania dos Portos emite “alerta vermelho” no rio Madeira - Gente de Opinião
O CAOS DA SECA
DANIEL PANOBIANCO: Estiagem amazônica

Poluição reduz chuvas

QUEIMADAS E DESMATAMENTO PREOCUPAM EM RONDÔNIA ...

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre