Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Brasil lança fundo voluntário para preservar Amazônia


Luana Lourenço - Enviada especial - Agência Brasil

Bali (Indonésia) - Juntar R$ 1 bilhão em contribuições voluntárias para investir na redução de desmatamento no Brasil é a idéia base do Fundo de Proteção e Conservação da Amazônia Brasileira anunciado hoje (12), em Bali, em um evento organizado pela delegação brasileira durante a Conferência das Partes sobre o Clima (COP-13). O fundo será lançado oficialmente no primeiro trimestre de 2008.

O fundo é uma versão em escala nacional da proposta defendida pelo Brasil desde a COP-12 em Nairóbi (Quênia), mas que não vem conseguindo muito apoio nas negociações internacionais, no âmbito das Nações Unidas, sobre redução de emissões por desmatamento.

Com um mecanismo simples, de acordo com o diretor do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Tasso Azevedo, o fundo pretende atrair investimentos de governos, inclusive internacionais, empresas e até doações de pessoas físicas para redução dos índices de desmatamento da Amazônia.

"A expectativa é captar, já na abertura, uns US$ 150 milhões [cerca de R$ 265 milhões]. Estamos conversando com empresas, bancos, companhias aéreas e do setor energético, que já demonstraram interesse em contribuir", adiantou. O governo da Noruega, presente no evento brasileiro, foi o primeiro a confirmar a contribuição, mas ainda não há valores definidos.

A capacidade de investimento do fundo será calculada com base no histórico de queda do desmatamento nos últimos anos, que será revisada periodicamente. Ou seja, o país só vai receber os investimentos se continuar comprovando as reduções.

Nos primeiros quatro anos, a referência será de 1,95 milhão de hectares por ano, média da área desmatada na última década. Esse limite servirá de linha de comparação para calcular o quanto as reduções anuais do desmate valerão em termos de compensação financeira. Em 2006, por exemplo, a área desmatada foi de 1,4 milhão de hectares, abaixo da referência. Com a diferença entre esses números, calcula-se a quantidade de carbono que deixou de ser emitido e quanto o Brasil vai receber por isso.

Quem contribuir com o fundo, receberá uma espécie de diploma para comprovar o investimento. "Cada US$ 5 vai contabilizar a redução de uma tonelada de carbono", detalhou Azevedo. Entretanto, os eventuais países desenvolvidos colaboradores do fundo não poderão utilizar a redução que financiaram como forma de abatimento de suas metas obrigatórias de redução de emissões de gases de efeito estufa.

Antes do lançamento oficial, o governo precisa aprovar um projeto de lei para criar o fundo - que será discutido com parlamentares e tramitará em regime de urgência constitucional no Congresso - e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que gerenciará os recursos, vai analisar os detalhes de funcionamento do mecanismo.

Até 2011, a compensação deverá ser estendida a outros biomas brasileiros que também sofrem com o desmatamento, como a Mata Atlântica e o Cerrado. De acordo com o diretor do SFB, para esses casos, a tecnolgia de monitoramento e o cálculo das emissões de carbono ainda está sendo
 

Mais Sobre Meio Ambiente

Ji-Paraná: prefeitura encerra atividade no lixão e passa a utilizar aterro sanitário

Ji-Paraná: prefeitura encerra atividade no lixão e passa a utilizar aterro sanitário

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia), encerrou nesta segunda feira (06), as atividades no lixão munic

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto