Porto Velho (RO) terça-feira, 25 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Bahia sai na frente no Nordeste como Estado Amigo da Amazônia



Governador Jaques Wagner assina termo de compromisso com o Greenpeace para banir madeira de origem ilegal e predatória das obras públicas da região.

O Estado da Bahia deu um importante passo no combate ao desmatamento na Amazônia e às mudanças climáticas no Brasil. O governador Jaques Wagner (PT-BA) assinou o Termo de Compromisso pelo Futuro da Floresta, aderindo ao programa Estado Amigo da Amazônia, do Greenpeace.

O programa Estado Amigo da Amazônia prevê a criação de leis locais que eliminem madeira ilegal e de desmatamento de todas as compras e obras públicas dos estados, além do estabelecimento de ações efetivas de controle e fiscalização do fluxo e da comercialização de madeira nativa (não apenas amazônica) no território baiano. Com isso, o programa deve ajudar a criar condições de mercado para a madeira produzida de forma responsável e sustentável na Amazônia.

“Para nós, é um orgulho sermos o segundo Estado amigo da Amazônia. Nós seremos vitoriosos quando conseguirmos mexer no bolso daqueles que ganham com o desmatamento”, afirmou o governador, após a solenidade. “Quando o protocolo que normatiza a fiscalização e a compra de madeira estiver pronto, aumentaremos o contingente de policiais ambientais no Estado.”

Atualmente, entre 60% e 64% da madeira extraída na floresta amazônica são consumidos no mercado brasileiro e o restante é destinado à exportação (entre 36% e 40%). Cerca de 80% dessa produção tem origem ilegal e predatória. O Greenpeace estima que 1/3 do consumo interno seja praticado por compradores públicos, entre eles municípios, estados e os próprios órgãos do governo federal.

“As mudanças climáticas já estão causando impactos na Bahia e no Nordeste. O maior vilão é o desmatamento de nossas florestas. Hoje a Bahia dá um importante passo nesta luta que tem como objetivo final garantir o desenvolvimento sustentável do estado e a sobrevivência das futuras gerações”, comenta Marcelo Furtado, diretor de campanhas do Greenpeace.

O compromisso foi assumido por ocasião da II Conferência Estadual de Meio Ambiente da Bahia, cujo tema é “Mudanças Climáticas, Território e Sociedade”, no Centro de Convenções da Bahia, e contou participação do Secretário Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Juliano Matos (PV-BA) e de Renato Cunha, do Grupo Ambientalista da Bahia (Gamba). O Gamba atuará como membro da comissão técnica de trabalho, instituída no próprio termo de compromisso assinado hoje, para garantir a implementação do programa no estado, da mesma forma que vem colaborando na implantação do programa Cidade Amiga da Amazônia, na prefeitura de Salvador.

“Com essas ações de fiscalização em estradas e depósitos pretendemos que o estado garanta ao consumidor final a disponibilidade de madeira de origem legal no mercado baiano. Dessa forma, poderemos também ser Cidadãos Amigos da Amazônia”, explica Renato Cunha, do Gamba.

Outros Estados e Cidades Amigos da Amazônia

Atualmente o programa Cidade Amiga da Amazônia conta com a participação de 37 municípios, localizados nos principais mercados consumidores de madeira nativa do país, entre eles capitais como: São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza e Manaus.

“Esperamos que com a ajuda de nossos parceiros do Gamba o sucesso do programa sirva de inspiração para que outros estados nordestinos se tornem Amigos da Amazônia” reforça Adriana Imparato, coordenadora do Programa Estado Amigo da Amazônia.

O estado de São Paulo foi o primeiro estado brasileiro a aderir ao programa Estado Amigo da Amazônia, do Greenpeace e também o primeiro a apoiar o Pacto pela Valorização da Floresta e pelo Fim do Desmatamento na Amazônia.

Até o final de 2008 estão previstas adesões de outros 3 estados ao Programa: Rio de Janeiro, Minas Gerais e Acre.

Fonte: Rios Voadores com informações do Greenpeace

 

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat