Porto Velho (RO) domingo, 23 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Agricultores do projeto de assentamento Joana D’Arc utilizam práticas agroecológicas


 
A equipe do Programa de Assessoria Técnica, Social e Ambiental à Reforma Agrária (Ates) do Incra, que atua nos Projetos de Assentamento (PA) Joana D’Arc I, II e III, está utilizando práticas agroecológicas com os produtores rurais. Entre as atividades têm destaque a produção de composto orgânico, biofertilizantes, o controle alternativo de praAgricultores do projeto de assentamento Joana D’Arc utilizam práticas agroecológicas  - Gente de Opiniãogas e doenças e incentivos ao uso de sementes tradicionais.

“A perspectiva de incorporar cuidados com o ambiente e com os problemas sociais enfoca não somente a produção, mas também a sustentabilidade ecológica”, afirmou o engenheiro agrônomo do Ates/Emater, Janderson Dalazen, que lidera o trabalho nas comunidades.

O momento atual é o de sensibilização dos agricultores familiares pra a importância e vantagens da transição do modelo tradicional de agricultura para o agroecológico. Os técnicos estão utilizando experiências como a produção de alimentos sem agrotóxicos, a utilização de leguminosas consorciadas com lavouras e algumas hortas do projeto de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS). Além disso, cursos estimulam o associativismo e o trabalho coletivo.


Agroecologia em áreas impactadas pelas usinas

A equipe do Ates/Emater busca implantar uma horta agroecológica para a segurança alimentar das famílias que estão em áreas impactadas pelas usinas hidrelétricas de Porto Velho, como é o caso dos PA’s Joana D’Arc, além de um viveiro comunitário para a produção de mudas de espécies frutíferas e florestais, com o propósito de recuperar áreas degradadas através de sistemas agroflorestais.

O projeto foi elaborado de forma participativa com a Associação de Produtores da Agricultura Familiar (ASPAF), do PA Joana D’Arc III, e submetido a uma seleção pública para financiamento, já tendo sido aprovado na primeira fase. Para Dalazen, estratégias que visem recuperar danos ambientais e também produzir alimentos são “importantes ferramentas para evitar o êxodo rural e garantir a sustentabilidade do agroecossistema”.

Fonte: Jeanne Machado
 

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat