Porto Velho (RO) domingo, 17 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Ações do Programa de Recuperação de Áreas Degradadas em Porto Velho


 
A Prefeitura Municipal de Porto Velho, sob a Coordenação da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento – SEMAGRIC - está executando o Programa de Recuperação de Áreas Degradadas, que consiste na realização de serviços de Destoca (trator de esteira), Gradagem (trator de pneus) e incorporação de calcário para correção da acidez do solo, beneficiando um hectare de área por unidade produtiva rural em ambas as ações.

A SEMAGRIC cadastrou durante os meses de janeiro a abril do corrente ano, 2.000 produtores (as) rurais para serem atendidos pelo Programa. De 31 de agosto a 02 de setembro de 2.009 foram atendidos 518 produtores com os serviços de Destoca, 936 com a Gradagem e já foram distribuídas 490 toneladas de calcário nas seguintes comunidades: linha 67 (Caracol), linha do Pavão, linha 21 de Abril, linha 1, linha 2, linha do Igarapé Preto, linha 101 e colônia Viçosa, nesta ultima beneficiando 40 produtores locais.

Em 14 de setembro foram entregues mais 130 toneladas de calcário para atender os produtores rurais do Projeto Morrinhos, das linhas 25, linha 3 e linha 5 do Projeto de Assentamento Joana D’Arc, sendo que estes já foram beneficiados com os serviços de Destoca e Gradagem e agora irão receber a incorporação do calcário, tornando as áreas encapoeiradas (improdutivas) em áreas produtivas e férteis, devido a correção do solo através da incorporação do calcário. Todas estas áreas serão utilizadas por seus beneficiários para o plantio de mandioca, milho, feijão, arroz, abacaxi, banana e várias outras culturas provenientes da agricultura familiar.

O Programa de Recuperação de Áreas Degradadas tem por objetivo evitar que áreas de capoeira sejam queimadas ou outras áreas sejam desmatadas, proporcionando aos produtores e suas famílias um hectare de área produtiva para a agricultura, através da Destoca, Gradagem e da incorporação do calcário.

Estas ações demonstram um grande incremento produtivo para o município de Porto Velho no que se refere ao aumento da renda do produtor da agricultura familiar, possibilitando à sua família uma melhor qualidade de vida e uma maior diversidade de produtos em sua alimentação, isso significa respeito ao agricultor, a sua família e a toda sociedade.

Este Programa além de aumentar a produtividade das áreas agricultáveis, presta um grande serviço na questão ambiental, evitando que novas áreas sejam queimadas e desmatadas, demonstrando o comprometimento desta gestão em proteger o meio ambiente e respeitar a natureza, contribuindo assim para um município ambientalmente responsável, cumprindo com as premissas do Desenvolvimento Sustentável em ser SOCIALMENTE JUSTO, ECONOMICAMENTE SUSTENTÁVEL e AMBIENTALMENTE CORRETO. 

Fonte: Ascom

Mais Sobre Meio Ambiente

Colaboradores do Sistema Fecomércio/RO participam da 4º etapa de implantação do Programa ECOS de Sustentabilidade

Colaboradores do Sistema Fecomércio/RO participam da 4º etapa de implantação do Programa ECOS de Sustentabilidade

Colaboradores do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE, participaram no auditório da Federação durante dois dias, da 4° etapa da implantação do programa

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

O Brasil tem 790 barragens de rejeitos de minérios, e mais de 300 delas não foram classificadas em relação ao seu risco de rompimento e ao potencial d

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Os R$ 4 milhões também servirão para elaborar o Plano Municipal de Saneamento Básico e o Plano de Gerenciamento de Resíduos SólidosMais uma vitória im

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Ontem (31/01), a Fundação SOS Mata Atlântica deu início à Expedição Paraopeba, que irá percorrer 356 km deste rio, de Brumadinho à Hidroelétrica Retir