Porto Velho (RO) quarta-feira, 5 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Hidrelétricas do Madeira

UNIVERSITANDO: Especial sobre as Usinas do Madeira


Promover uma maior reflexão da sociedade sobre as usinas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira. É com este objetivo que o programa Universitando inicia neste domingo ao meio-dia, pela programação regional da Rede TV, uma série de reportagens especiais sobre os aspectos que envolvem a construção das usinas do Madeira. O apresentador do programa, Jaime Gazola Filho, explica que as matérias que irão ao ar a partir deste domingo são totalmente imparciais, levando ao telespectador um ângulo de 360º acerca do assunto. “Nós conversamos com o Ibama, com organizações civis contra e a favor das usinas e queremos, com isso, ampliar ainda mais a discussão sobre toda a polêmica gerada em torno deste tema”, completa.

Segundo o apresentador, as matérias serão exibidas em três edições, uma com o ponto de vista do Ibama, outra expondo a defesa de quem é a favor e uma terceira com quem se opõe a construção das usinas sobre o Rio Madeira. Para encerrar, o Universitando irá promover um debate entre estudantes universitários numa quarta edição especial do programa. “O jovem rondoniense precisa participar mais efetivamente desta discussão, mostrando o que pensa sobre um assunto que vai definir o futuro do estado e, até do país. Então é aí que o programa demonstra a sua preocupação social e faz o seu papel levando essa polêmica até a população de Rondônia”, enfatiza Jaime.

O projeto das Usinas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira, prevê a capacidade de geração 10% da energia a ser consumida pelo Brasil. Para isso, será necessária a ocupação de 230 quilômetros de extensão ao longo do rio, o que poderá causar danos irreversíveis ao meio ambiente, se não houver responsabilidade social e ambiental no projeto. Para isso o Ibama formulou dezenas de exigências para liberar uma licença prévia para o leilão que irá definir ainda a concessão das empresas construtoras. Entre as exigências estão a apresentação de projetos para a criação de caminhos alternativos para o deslocamento, desova e reprodução de peixes. Também está sendo exigido o controle do processo de sedimentação dos reservatórios e o monitoramento dos níveis de mercúrio nos igarapés afluentes do rio. É indispensável, também, a apresentação de programas para diminuir os prejuízos da população ribeirinha que serão atingidas pelas barragens.

A licença prévia liberada no dia 9 de julho não garante a execução das obras. A licença é válida por até dois anos, tempo suficiente para apresentar o projeto das obras. Após essa fase, se aprovada, uma segunda licença autoriza o início da construção e, por último, o Ibama libera terceira licença já para o funcionamento das usinas. Se o projeto das usinas do Madeira for aprovado, mais de R$ 20 bilhões serão investidos no empreendimento.
Fonte: Chagas Pereira

Mais Sobre Hidrelétricas do Madeira

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

A população de Porto Velho pode comemorar o início das obras que fazem parte do importante projeto de revitalização do complexo da Estrada de Ferro

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Porto Velho, março de 2016.Dia 30 de março marca os quatro anos desde o início de geração da Hidrelétrica Santo Antônio, localizada no rio Madeira, em

Estudantes de engenharia elétrica do acre visitam Jirau

O canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Jirau foi cenário de estudo dos estudantes do primeiro período do curso de Engenharia Elétrica da Universida

Governo faz mega desapropriação em Belo Monte

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) formalizou na última terça-feira (3) a última desapropriação de terras para a construção da