Porto Velho (RO) segunda-feira, 10 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Hidrelétricas do Madeira

Rondônia se prepara para as usinas do Rio Madeira...


O Governador Ivo Cassol considera a obra fundamental para o estado se desenvolver. "O Evo Morales que cuide do país dele, aqui no Brasil nós mandamos. Aliás, já tem muita gente mandando". Com essa frase o governador de Rondônia, Ivo Cassol, define a "possível" intervenção da Bolívia na construção das hidrelétricas que formam o Complexo Madeira. Considerando que a obra é significativa para o País, Cassol afirma que esta é uma das grandes oportunidades que o estado de Rondônia tem para continuar se desenvolvendo.

A polêmica foi gerada porque, com a formação da represa da segunda usina Jirau (3.450 megawatts) no lado brasileiro do rio Madeira, serão inundados cerca de 529 quilômetros quadrados, e os efeitos com o alagamento seriam refletidos na fauna, flora e hidrografia da Amazônia boliviana. Com a sedimentação, o nível do leito fluvial do Madeira se elevará na altura da boca do rio Abunã, criando assim um efeito de represamento, o que elevará os níveis de água desse rio, que forma parte da fronteira entre o Brasil e a Bolívia.

"O Evo Morales não tem que se meter com o Brasil. Não interessa se a Bolívia vai achar bom ou ruim, a verdade é que as usinas são prioritárias para o País e para Rondônia", afirma Cassol. Diante dessas questões, o governador aproveita também para dar mais uma alfinetada, desta vez no Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama). "Chega de gente querendo mandar. O Ibama, por exemplo, já atrasou nossa vida em mais de um ano. Agora é hora de crescer", disse a este jornal.

Com a concessão da licença prévia do Ibama autorizando a construção da usinas Santo Antonio e Jirau, a capital Porto Velho já começou a sentir os efeitos que a obra deverá trazer e, para isso, a infra-estrutura deverá ser reforçada.

Dia 10 deste mês, Cassol reuniu-se com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e conseguiu, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), R$ 73 milhões para tratamento de água em Porto Velho. A empresa responsável pelo abastecimento da cidade é a Companhia de Água e Esgoto do Rondônia (CAERD) que trata menos de 5% da água consumida na capital, que tem mais de 400 mil habitantes. A maioria da população tem poço e fossa séptica em casa, o que causa sérios problemas de contaminação.

Além deste problema, no estado - com a possibilidade do aumento do número de habitantes em mais 100 mil com o início das obras - existe a malária, fator que deixou os técnicos do Ibama mais cautelosos na hora de conceder a licença prévia da primeira usina, a Santo Antonio. "Ainda na reunião com o presidente Lula, ficou definido um programa que será desenvolvido pela Funasa (Fundação Nacional de Saúde) para combater as endemias. No estado existe a malária como em outras regiões do País. Mas vamos conseguir erradicar", argumenta.

Aos empreendedores que pretendem seguir para aquele estado, Cassol garante que a Suframa - órgão do governo federal que faz investimentos na Região Norte - deverá liberar R$ 35 milhões para a compra de tratores e máquinas para conservar estradas municipais. O estado tem 11 Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), que produzem energia para as cidades fora do eixo da BR-364, que corta o estado, gerando cerca de 100 MW. O excedente vai para o Acre.

Após concessão da licença prévia ambiental das usinas, os imóveis de Porto Velho tiveram valorização de 50%. A base da economia do estado é a pecuária com um rebanho de 12 milhões de cabeças. (Gazeta Mercantil/Ivonéte Dainese)  
Fonte: DECOM 

Mais Sobre Hidrelétricas do Madeira

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

A população de Porto Velho pode comemorar o início das obras que fazem parte do importante projeto de revitalização do complexo da Estrada de Ferro

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Porto Velho, março de 2016.Dia 30 de março marca os quatro anos desde o início de geração da Hidrelétrica Santo Antônio, localizada no rio Madeira, em

Estudantes de engenharia elétrica do acre visitam Jirau

O canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Jirau foi cenário de estudo dos estudantes do primeiro período do curso de Engenharia Elétrica da Universida

Governo faz mega desapropriação em Belo Monte

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) formalizou na última terça-feira (3) a última desapropriação de terras para a construção da