Porto Velho (RO) segunda-feira, 3 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Hidrelétricas do Madeira

HIDRELÉTRICA DE JIRAU: Rondônia quer compensação maior para liberar licença




Daniel Rittner - Jornal Valor Econômico

A concessionária Energia Sustentável do Brasil (ESBR) ficou mais perto de obter a licença de instalação do Ibama para a usina hidrelétrica de Jirau (apesar do parecer do corpo técnico do Ibama contrário à licença), mas ainda vive um impasse com o governo de Rondônia sobre os valores das compensações socioambientais.

As duas partes estão em conversas para aproximar suas posições, já que existe uma diferença de até duas vezes e meia entre a compensação pedida pelas autoridades locais e os valores oferecidos pela concessionária. Enquanto isso, em Brasília, o presidente do Ibama, Roberto Messias, disse que faltam "apenas alguns detalhes" para a emissão da licença e que a concessionária prestou esclarecimentos sobre as "pendências" levantadas pela equipe técnica, que deu um parecer contrário à liberação da usina. Messias lembrou que o parecer fornece elementos para a decisão, mas a prerrogativa de emitir ou não a licença é da diretoria do Ibama.

Com a prefeitura de Porto Velho, a concessionária assinou ontem um protocolo de intenções e se comprometeu a pagar R$ 69,2 milhões em compensações - o valor não inclui os royalties que serão transferidos a partir da entrada em funcionamento da usina. O acordo foi fechado entre o prefeito Roberto Sobrinho (PT), o presidente da Suez (controladora da ESBR), Maurício Bähr, e o diretor de engenharia da Eletrobrás (sócia minoritária), Valter Cardeal. "Esse documento tira o óbice da prefeitura em relação às obras", comentou o prefeito.

Os recursos serão investidos nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, lazer e turismo. Sobrinho disse que o valor inicialmente proposto "estava muito aquém das demandas apontadas pelo EIA-Rima", mas elogiou a boa vontade dos sócios da ESBR em avançar. Além do problema social pela paralisação da obra, que deixou 3,5 mil funcionários em ociosidade, ele afirmou que a prefeitura está preocupada com o fluxo migratório em direção a Porto Velho.

"O EIA-Rima fala em um crescimento populacional de 40 mil pessoas, mas nós achamos que o fluxo pode chegar a 100 mil novos habitantes", acrescentou o secretário de Projetos Especiais, Pedro Béber. Hoje, o município tem 379 mil moradores. Segundo a prefeitura, o valor da compensação acertado com a ESBR é muito próximo do montante pago pela Santo Antônio Energia, responsável pela construção da outra usina hidrelétrica no Madeira.

Agora o problema ficou concentrado nas negociações com o governo de Rondônia. A ESBR enviou, nos últimas dias, uma proposta para compensar em aproximadamente R$ 66 milhões o Estado. Segundo a concessionária, esses valores estão acima dos repasses feitos pelos construtores de Santo Antônio.

O governo de Rondônia nega que haja tratamento discriminatória em relação aos investidores de Santo Antônio. O secretário estadual de Meio Ambiente, Cletho Muniz de Brito, aponta uma peculiaridade de Jirau: a usina provocará o alagamento da Floresta Rio Vermelho A e da Estação Ecológica Serra dos Três Irmãos, ambas reservas estaduais, que totalizam 137 mil hectares.

Segundo ele, a primeira proposta de compensação feita pela ESBR foi de R$ 35 milhões, valor descartado pelo governador Ivo Cassol (sem partido). Depois, subiu para R$ 66 milhões. O governo de Rondônia, no entanto, pede R$ 150 milhões. "Deixamos muito claro que não somos contra a construção da usina, mas eles têm que respeitar o Estado."

Brito passou o dia de ontem em reuniões no Ministério do Meio Ambiente e disse que hoje pode ser fechado um acordo de "permuta" (termo usado por Cassol): o governo de Rondônia daria licença para a inundação das reservas estaduais e o MMA providenciaria a regularização fundiária dos assentamentos na Flona Bom Futuro, uma unidade de conservação florestal invadida por mais de 5 mil famílias.

Mais Sobre Hidrelétricas do Madeira

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

A população de Porto Velho pode comemorar o início das obras que fazem parte do importante projeto de revitalização do complexo da Estrada de Ferro

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Porto Velho, março de 2016.Dia 30 de março marca os quatro anos desde o início de geração da Hidrelétrica Santo Antônio, localizada no rio Madeira, em

Estudantes de engenharia elétrica do acre visitam Jirau

O canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Jirau foi cenário de estudo dos estudantes do primeiro período do curso de Engenharia Elétrica da Universida

Governo faz mega desapropriação em Belo Monte

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) formalizou na última terça-feira (3) a última desapropriação de terras para a construção da