Porto Velho (RO) segunda-feira, 10 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Hidrelétricas do Madeira

Desperdício de gás natural causa prejuízo de US$ 360 mi


Desatenção de governo para perdas no setor preocupa especialistas e parlamentares
 
O Brasil teve um prejuízo de aproximadamente US$ 360 milhões na economia do setor energético nos últimos cinco meses, o equivalente a um desperdício de quase 15 milhões de metros cúbicos de gás natural que deixaram de ser aproveitados na geração de energia. Estudiosos do setor afirmam que os índices de reinjeção e queima de gás cresceram em relação à mesma época do ano passado.
 
O engenheiro civil e consultor Humberto Viana Guimarães, em entrevista ao jornal paulista "Gazeta Mercantil", afirmou que o percentual de gás retirado dos poços brasileiros e não aproveitado subiu de 27,93% no mesmo período do ano passado para 30,34% até maio. "Nenhuma empresa vai conseguir aproveitar 100% do gás natural, mas queimar e reinjetar mais de 30% é desperdício", explicou Humberto. 
 
Para o deputado federal Moreira Mendes (PPS-RO), esse desperdício do gás e a falta de interesse do governo podem prejudicar ainda mais o País. Segundo ele, o Executivo parece esperar acontecer algo mais grave para tomar as devidas soluções para um problema como é a energia elétrica. "Talvez seja preciso uma catástrofe como a crise aérea para que o governo acorde e resolva. Há obras em dia com todas as exigências, mas por problemas políticos não deslancham. Isso é um absurdo", contestou o deputado.
 
Moreira Mendes disse ainda que a queima de gás natural é uma alternativa limpa e não oferece nenhum risco ambiental. "É preciso investir no setor e liberar os gasodutos para o crescimento e desenvolvimento do País. Daqui a alguns anos o governo vai entender nossa preocupação com a energia brasileira", disse o deputado.
 
O senador e líder de governo, Valdir Raupp (PMDB-RO) acredita que é preciso dar atenção às obras que já estão praticamente liberadas, mas esperando a confirmação do governo para iniciarem os empreendimentos. Segundo Raupp, a construção do Gasoduto Urucu-Porto Velho é uma alternativa que atende a demanda de produção e distribuição de gás natural. "Há diversas reservas de gás e se pararmos de queimar óleo diesel e explorar o gás, não vamos depender da Bolívia", ponderou o líder rondoniense. 
 
Os parlamentares lembram o exemplo do Gasoduto Urucu-PortoVelho, que já possui todas as licenças e autorizações necessárias para seu funcionamento mas ainda não foi construído por causa da burocracia do governo. 
 
Com sua construção, Rondônia e parte do Acre passarão a consumir energia mais limpa produzida a partir de duas termoelétricas instaladas em Porto Velho que atualmente funcionam queimando óleo diesel, produto caro e nocivo ao meio-ambiente. 
 
A instalação do empreendimento e a possibilidade da substituição do diesel pelo gás natural significaria, dentre outras vantagens, a economia de R$ 500 milhões/ano. "O povo de nosso estado merece essa atenção", afirmou o deputado.
 
Mas, não é apenas parlamentares que culpam o governo federal pela falta de investimento no setor de gás natural. Para Humberto Viana, o Brasil precisa de um gasoduto de grande porte para garantir o abastecimento e fornecimento do energético. "É preciso explorar nossa reserva que chegam a 880 bilhões de metros cúbicos", dz Viana. 
 
O presidente do Instituto Acende Brasil, Cláudio Sales, acredita que a construção de obras que garantam segurança para o setor energético do País são indispensáveis e necessitam de mais investimentos. "Sejam usinas ou gasodutos, o importante é acharmos uma saída para que o Brasil não sofra novamente um "apagão" nos próximos anos", disse Cláudio Sales. 
 
Segundo Sales, à medida que cresce a economia é indispensável que cresça a oferta de energia, o que demanda melhores condições de abastecimento, produção, distribuição e fornecimento de energia para o País se desenvolver no setor. "O que as autoridades falam é um absurdo. Investem nas usinas emergenciais, que queimam óleo diesel, ao invés de investirem em obras práticas e seguras", afirmou Sales.
 
Fonte: agencia informe

Mais Sobre Hidrelétricas do Madeira

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

Iniciadas as obras de proteção das margens do rio na região da Madeira-Mamoré

A população de Porto Velho pode comemorar o início das obras que fazem parte do importante projeto de revitalização do complexo da Estrada de Ferro

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Hidrelétrica Santo Antônio completa quatro anos de geração

Porto Velho, março de 2016.Dia 30 de março marca os quatro anos desde o início de geração da Hidrelétrica Santo Antônio, localizada no rio Madeira, em

Estudantes de engenharia elétrica do acre visitam Jirau

O canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Jirau foi cenário de estudo dos estudantes do primeiro período do curso de Engenharia Elétrica da Universida

Governo faz mega desapropriação em Belo Monte

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) formalizou na última terça-feira (3) a última desapropriação de terras para a construção da