Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Feminicídio

MPRO obtém condenação de mandante e executores por feminicídio em distrito de Porto Velho


MPRO obtém condenação de mandante e executores por feminicídio em distrito de Porto Velho - Gente de Opinião

Após dois dias de julgamento em Porto Velho, o Ministério Público de Rondônia (MPRO) obteve as condenações de três réus pelo crime de feminicídio contra S.F. Ela foi assassinada no dia 11 de setembro de 2021, na Vila da Penha, Zona da Mata, distrito de Abunã. A vítima deixou três filhas.

O mandante do crime era esposo da vítima e foi condenado à pena de 22 (vinte e dois) anos e 6 (seis) meses de reclusão por homicídio qualificado, com agravantes de motivo torpe e mediante dissimulação. Já os dois executores foram condenados a penas de 20 (vinte) e 18 (dezoito) anos de reclusão, respectivamente. A sentença foi proferida durante a noite de quinta-feira (22/6).

De acordo com a Promotora de Justiça Tâmera Padoin Marques Marin, a vítima convivia em união estável com mandante e a motivação do crime seria porque ela desejava a separação, mas o homem não queria dividir os bens.

Conforme as investigações, a vítima foi morta com três tiros na cabeça durante uma emboscada em um matagal na propriedade do casal. A Promotora de Justiça argumentou que o então companheiro da vítima tinha a clara intenção de executar a esposa.

O crime foi cometido em um contexto de violência doméstica e familiar, sem chance de defesa da vítima, com o agravante de dissimulação do acusado ao cooptar os executores, atrair a esposa para a emboscada e posteriormente informar um suposto latrocínio na tentativa de encobrir o crime.

O julgamento começou na quarta-feira (21/6) e terminou na quinta-feira (22/6) no 1º Tribunal do Júri da capital. O júri foi presidido pelo Juiz Áureo Virgílio Queiroz.

Durante a leitura da sentença o Juiz informou que a forma da execução demonstrou que o crime foi planejado às escondidas, simulando um assalto.

“As consequências do crime são devastadoras para as 3 (três) filhas da vítima que não terão mais a mãe para lhes dar amor, carinho e educação. O comportamento da vítima era de defesa, ou seja, nada contribuiu para o crime”, consta na sentença.

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 26 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

No Agosto Lilás, exposição Nem Tão Doce Lar chega a Porto Velho para promover discussão sobre violência doméstica e familiar

No Agosto Lilás, exposição Nem Tão Doce Lar chega a Porto Velho para promover discussão sobre violência doméstica e familiar

Nos dias 9 e 10 de agosto, a exposição Nem Tão Doce Lar chega a Porto Velho (RO) visando sensibilizar a sociedade para o tema da superação da violên

Presidente Lula sanciona lei que determina proteção imediata a mulheres que denunciam violência

Presidente Lula sanciona lei que determina proteção imediata a mulheres que denunciam violência

Em mais uma medida para ampliar a proteção a mulheres vítimas de violência doméstica ou de outras agressões em suas relações familiares e íntimas de

Câmara aprova pensão especial para filhos de vítimas de feminicídio

Câmara aprova pensão especial para filhos de vítimas de feminicídio

A Câmara dos Deputados aprovou, hoje (9), o projeto de lei nº 976/22 que prevê o pagamento de pensão especial aos filhos e outros dependentes menore

Agosto Lilás: Mariana Carvalho lidera ações de combate à violência contra a mulher

Agosto Lilás: Mariana Carvalho lidera ações de combate à violência contra a mulher

Desde 2021, uma lei federal tornou agosto o mês oficial de combate à violência contra a mulher.  É o “Agosto Lilás”. A deputada federal Mariana Carv

Gente de Opinião Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)