Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

GREVE EM UHE JIRAU: Motoristas de ônibus não aceitam 8,5% e devem parar usina



Em reunião realizada na manhã da última sexta-feira (28), pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário (SINTRAR), os motoristas das empresas de ônibus que transportam os operários da Usina Hidrelétrica de Jirau rejeitaram a proposta patronal de 8,5% de reajuste e já decretaram estado de greve. A reunião foi no posto pedrinhas, próxima ao canteiro de obras, com participação do presidente do SINTTAR Antonio Carlos da Silva; além dos diretores da entidade Luzimar das Neves, Uilian Leal, Josemir Aguilheira, Antônio Augusto da Silva e Elifas Rocha. Os motoristas só não iniciaram de imediato a greve por que o sindicato orientou que antes é necessário cumprir todas as formalidades legais.
 

Nesta segunda-feira (01] haverá uma mediação na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), para uma última tentativa de melhorar a proposta. Depois disso, o SINTTRAR convocará uma assembleia para próxima sexta-feira (05) para deliberação final sobre aceitação de eventual nova proposta ou decretação oficial de greve por tempo indeterminado, a partir da próxima semana. O principal impasse é que os motoristas não aceitam um piso salarial menor do que os praticados na própria Usina, para funções equivalentes, que corresponde a aproximadamente R$ 1.400,00, sendo que o piso da categoria atual é de R$ 1.207,00; e, também, não concordam em receber o valor de vale alimentação/visa vale menor do que os motoristas de ônibus da Usina de Santo Antônio, que recebem R$ 362,00 enquanto o deles é de R$ 230,00.
 

Na reunião de negociação realizada na quinta-feira (27), com a participação de todas as empresas que atende Jirau: Rovema, Ideal, Porto Madeira, Rondonorte, Via Norte e Via Verde, JL Turismo e Roda Brasil, Rhyno, Roda Brasil, RF Turismo Ltda e Tekla Tur, o SINTTRAR, após consultar uma comissão de motoristas, havia apresentado uma contraproposta, reduzindo a reivindicação inicial de 16% para 14% e o vale alimentação/visa vale R$ 362,00, que foi recusada pelas empresas de ônibus. Para o presidente do Sindicato, Da Silva, "a intransigência das empresas em manter as diferenças de piso com a Usina e o valor muito menor no vale alimentação, em relação ao que é pago em Santo Antônio empurrará inevitavelmente a categoria para a greve". Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), "é necessário a intervenção da Camargo Correa, pois estas diferenças, principalmente em relação ao vale alimentação, é inaceitável para os trabalhadores e dependeria de uma revisão de contratos".

Fonte: CUT

 


 

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A