Porto Velho (RO) domingo, 17 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

CCEE assina contrato de R$ 11,2 bilhões para financiar distribuidoras de energia



Flávia Albuquerque
 

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) assinou hoje (25) com dez bancos - dos quais dois públicos e oito privados - o contrato de financiamento de R$ 11,2 bilhões para auxílio às distribuidoras de energia elétrica. O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal entraram com recursos de R$ 2,45 bilhões cada um; Bradesco e Itaú, R$ 2 bilhões cada; e o Santander, R$ 1 bilhão. Os outros bancos do consórcio são Citibank, BTG Pactual, Credit Suisse, Bank of America e J.P. Morgan.
 

O valor começará a ser pago aos bancos em novembro de 2015, mas os consumidores já sentirão os aumentos na conta de luz a partir de fevereiro do ano que vem. O prazo para as distribuidoras quitarem o empréstimo é dois anos, com taxa de 1,9% ao ano. 
 

O Ministério de Minas e Energia (MME) ainda não sabe mensurar de quanto será esse aumento, porque a estimativa depende do resultado dos próximos leilões e do término de contratos de concessões de usinas. De acordo com o secretário executivo do MME e ministro interino, Márcio Zimmermann, o leilão da próxima semana já poderá dar alguma ideia de quanto será o repasse ao consumidor.  “Na semana que vem vamos ter um leilão de energia e teremos uma ideia melhor do valor de que estamos falando”.
 

O presidente da Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica, Nelson Leite, ressaltou que a solução encontrada pelo governo é muito bem-vinda pelas distribuidoras de energia porque evitará uma crise no setor. “Preservará a capacidade das distribuidoras, que, se tivessem que pagar essa conta para receber de volta no período de reajuste, teriam que sacrificar seus investimentos. A medida evita uma elevação tarifária ainda para este ano e uma redução muito grande no ano que vem”.
 

Sobre a renúncia de três dos cinco conselheiros da CCEE poucos dias antes da assinatura do contrato de financiamento, o presidente do Conselho de Administração da CCEE, Luiz Eduardo Barata Ferreira, não admitiu que haja crise na entidade ou risco na operação. “A renúncia de qualquer pessoa em qualquer momento e circunstância é algo pessoal. Eles participaram conosco de todo esse processo, que começou em março. O processo foi internalizado na CCEE e todos se envolveram”.
 

Para Barata. é possível que a renúncia tenha alguma ligação com a operação, mas ele reforçou que os três conselheiros alegaram questões pessoais e de foro íntimo para a renúncia. “Ninguém é criança, pode ter sido por isso, mas essa operação é uma solução de mercado que nos deixa absolutamente seguros e tranquilos por sua robustez”, garantiu.

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A