Porto Velho (RO) domingo, 17 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Aumento da energia será de 43,4% em 2015, aponta Banco Central


 

No acumulado do ano esse índice está em 41,94% até maio e tem o maior peso entre os preços administrados pelo governo
 

da Agência CanalEnergia,
 

 O relatório de inflação do Banco Central divulgado nesta quarta-feira,24 de junho, aponta que a tarifa de energia deverá apresentar um aumento de 43,4% em 2015. No acumulado do ano essa elevação é de 41,94% e é o indicador que mais pesou no índice de inflação medido pelo IPCA no acumulado de doze meses até maio, que alcançou 8,47%. Esse patamar está 2,1 pontos porcentuais acima do reportado no mesmo período de um ano antes. Em geral, os preços administrados por contrato e monitorados variaram 14,09% nesse mesmo período contra um índice de 4,08% na comparação com um ano antes. A previsão para o encerramento de 2015 é de que esses preços controlados variem 13,7%, ante os 11% esperados no relatório trimestral anterior, de março.
 

A projeção de inflação é de 9% neste ano com as informações obtidas até 12 de junho. Esse cenário inflacionário reconheceu o BC tem relação ao processo de realinhamento de preços domésticos em relação ao mercado internacional e o realinhamento dos preços administrados, o que no setor elétrico representa o chamado ‘realismo tarifário’, implementado esse ano.
 
O BC citou o impacto do aumento da tarifa de energia no trimestre encerrado em maio que ajudou a elevar o IPCA a 2,79% já que os preços administrados apresentou variação positiva de 5,44% nesse período. A participação da energia nesse indicador reflete o impacto da RTE e os novos valores das bandeiras tarifárias que resultaram em um aumento médio de 22,08% para o segmento residencial para efeitos de IPCA. No acumulado do ano a energia elétrica que tem um peso de 3,89 na formação do índice de inflação apresentou variação de 41,94%.
 
Na ultima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) realizada pelo Banco Central no inicio deste mês, a projeção dos preços administrados é de 12,7% ante a previsão de 11,8% feito na reunião anterior, de abril. E a energia elétrica é que terá o maior peso. Enquanto a projeção para a variação da gasolina é de 9,1%, para a energia esse mesmo índice é de 41%. O cenário de referência pressupõe uma taxa de câmbio de R$ 3,10 para cada US$ e taxa Selic de 13,75% ao ano. Para a economia, a projeção é de queda de 1,1%.

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A