Porto Velho (RO) domingo, 24 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Afetados pelas usinas pedem ao deputado Jesuíno que barre aumento de cotas


Comunidade Paulo Leal está localizada
à 23km do perímetro urbano da capital

O deputado Jesuíno Boabaid (PMN), recebeu em seu gabinete, o morador e Presidente da Associação dos Moradores e Produtores Rurais da Comunidade Paulo Leal (Ascopale), Francisco Geraldo de Lima, e trataram sobre os impactos ambientais e financeiros que o aumento das cotas da Usina de Santo Antôno trata à comunidade, caso seja aprovado na Assembleia Legislativa. A comunidade está localizada a aproximadamente 23km do perímetro urbano da capital, seguindo pela BR-364 sentido Rio Branco.

Durante a visita, o morador questionou o parlamentar sobre o processo referente ao aumento da cota das usinas do Rio Madeira, relatando sobre os impactos que ocorreram na Comunidade Paulo Leal, que sofreu indiretamente com o fim da Cachoeira do Santo Antônio. “Muitos dos moradores da comunidade vendiam produtos na principal estrada que dava acesso à Cachoeira de Santo Antônio, porém, com a construção da Usina e o fim da passagem dos pescadores e turistas, acabamos perdendo esta fonte de renda” comentou Francisco.

O impacto ambiental foi outro ponto que afetou os moradores da comunidade. Após a construção da usina, houve considerado aumento de mosquitos e animais peçonhentos, que além de causar incômodo, oferecem riscos aos moradores.

Outro ponto comentado pelo morador é sobre a falta de transporte público na comunidade. Há cerca de três anos os moradores não dispõem deste serviço, pois a empresa que realizava o transporte encerrou as atividades após os veículos quebrarem devido as estradas ruins e o baixo número de passageiros atendidos.

Francisco relatou que o Movimento dos Atingidos pelas Barragens (MAB) fez reuniões na comunidade para tratar sobre os impactos sofridos e, inclusive, foi impetrada ação contra a Usina de Santo Antônio. “Nós queremos saber o que a usina irá dar em forma de benefício aos moradores, independentemente de ser aprovado ou não o aumento desta cota, pois hoje em dia nós já sofremos com os impactos” desabafou o presidente da associação.

O deputado Jesuíno afirmou que irá conversar com os demais parlamentares logo ocorra o retorno das atividades na Assembleia Legislativa, o que está previsto para o próximo dia 20. “É muito importante a participação da comunidade nas reuniões, para que fiquem cientes de tudo que é discutido e apresentem seus anseios perante os problemas que vivem” concluiu Boabaid.

Fonte: Decom / ALE

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Brasil pode abrir mão de R$ 700 bi em petróleo, caso aprove nova lei

Brasil pode abrir mão de R$ 700 bi em petróleo, caso aprove nova lei

Para o consultor legislativo Paulo César Lima,a aprovação pela Câmara do texto-base do PL 8939/17, que permite à Petrobras a venda de até 70% dos dir

Usina de Tabajara - Por Carlos Sperança

Usina de Tabajara - Por Carlos Sperança

Jogada de mestre?Com a infraestrutura brecada por requerer inaugurações a longo prazo, a política imediatista e confusa do governo federal tem sido co

Câmara aprova entrega do pré-sal às multinacionais

Câmara aprova entrega do pré-sal às multinacionais

A base do governo Michel Temer aprovou o projeto de lei, de autoria do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), que permite à Petrobras transferir até 7

Rondônia pode ser isento de cobrança adicional na tarifa de energia elétrica

Rondônia pode ser isento de cobrança adicional na tarifa de energia elétrica

Proposta apresentada por Marcos Rogério extingue sistema de bandeiras para estados produtores