Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Economia

Exclusivo – DIÁRIO NA VENEZUELA – Por André Sório - Episódio 6


Exclusivo – DIÁRIO NA VENEZUELA – Por André Sório - Episódio 6 - Gente de Opinião

EPISÓDIO 6 – 09 DE FEVEREIRO DE 2019 

Contei que combustível de origem fóssil, como a gasolina, é praticamente grátis aqui na Venezuela, certo? Isso também é verdade no que se refere ao consumo de energia elétrica e de gás de cozinha. A energia utilizada por uma casa, padrão classe média, custa uns 15 centavos de dólar por mês, algo perto de R$ 0,55. É de qualidade razoável, tão boa (ou tão ruim, dependendo do ponto de vista) quanto no Brasil. O gás deve custar 1 centavo de dólar e cai naquele mesmo problema já explicado sobre a gasolina: ninguém quer distribuir. Em função disso, sempre existem filas enormes para buscá-lo.

No episódio de ontem, comentei sobre o preço da terra aqui nos Llanos (bioma na Venezuela), mas entendam que é um preço meramente teórico, pois a hiperinflação dificulta qualquer comparação real. Neste instante, quem chegar com US$ 20 mil compra 200 hectares aqui na região de San Fernando de Apure. Um hectare, portanto, sairia por US$ 100 (R$ 370). Mas não é o preço histórico, que é mais parecido com aquele que citei no episódio anterior (hectare a US$ 1.500 em regiões protegidas por diques e US$ 500 nas áreas desprotegidas), quero deixar claro.

Há muito tempo a Venezuela trabalha com títulos de posse. Isso foi ampliado durante o governo Hugo Chávez. Eles permitem o uso pleno da terra, mas não podem ser dados em garantia para crédito. Dessa forma, o normal é que a garantia seja a estrutura da fazenda, suas máquinas e animais. Ouvi por aqui que apenas 25% dos produtores do país têm títulos de propriedade, mas não confirmei a informação, portanto não a tomem como verdade. Apenas como referência.

Óleo lubrificante para tratores é artigo raro por aqui. Duas máquinas (foto) da fazenda onde estou dando consultoria técnica estão paradas por falta dele. Já contei (Episódio 3) que a importação foi liberada nesta semana que passou, mas ainda não vemos efeito prático nas fazendas.

Mas também se trabalha com tecnologia de ponta por aqui. A propriedade usa um moderníssimo modelo de enfardadora de feno Kuhn (foto), que é uma das melhores marcas do mundo nesse segmento.

Quase todas as empresas que vendem os insumos básicos (semente, adubo, ingredientes para ração, atacado de agroquímicos, peças de reposição, etc.) para o agro são estatais. O resultado: a tão conhecida ineficiência do poder público.  Entretanto, as empresas que fazem as misturas finais, distribuição e varejo são, em maioria, privadas.

A importação é praticamente restrita a empresas estatais e leva a situações insólitas. Como exemplo, podemos citar os brincos de controle para animais: é importado apenas um tipo e de um determinado tamanho. É o que há no mercado. Desta forma, os bezerros nessa fazenda desfilam com um brincão meio desengonçado.

Continuamos amanhã. Uma ótima semana a todos.

Autor - André Sório (foto) – engenheiro agrônomo e consultor agropecuário – [email protected]

Galeria de Imagens

Mais Sobre Economia

7 em cada 10 comerciantes acreditam que as vendas de Natal deste ano serão melhores do que em 2020, revela pesquisa da Serasa Experian

7 em cada 10 comerciantes acreditam que as vendas de Natal deste ano serão melhores do que em 2020, revela pesquisa da Serasa Experian

Após o grande impacto causado pela pandemia da Covid-19, uma pesquisa realizada pela Serasa Experian para medir a expectativa de vendas das micro, peq

Exportação rondoniense soma US$ 1,51 bilhão e alcança grandes mercados internacionais

Exportação rondoniense soma US$ 1,51 bilhão e alcança grandes mercados internacionais

Rondônia se mantém em destaque no nível de exportação. É o que aponta a balança comercial, calculada entre janeiro e outubro deste ano, que está super

Vantagens do “Cidadania Empresarial” são apresentadas pela Sefin; ação do programa acontece nos dias 8 e 9 de dezembro

Vantagens do “Cidadania Empresarial” são apresentadas pela Sefin; ação do programa acontece nos dias 8 e 9 de dezembro

Na sexta-feira (3) a Secretaria de Finanças do Estado (Sefin) realizou uma coletiva de imprensa para divulgar os benefícios da primeira ação do Progra