Porto Velho (RO) terça-feira, 25 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Cultura

UNE quer prova opcional do Exame Nacional para todos que se sentirem prejudicados


 
Amanda Cieglinski
 Agência Brasil

Brasília – A União Nacional dos Estudantes (UNE) quer que o Ministério da Educação (MEC) aplique uma segunda edição opcional do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010, sem anular as provas aplicadas no último fim de semana. Essa é a solução que a entidade defende para que não haja prejuízo aos estudantes em função dos erros que ocorreram durante a avaliação.

O MEC quer reaplicar o Enem apenas para o grupo específico de estudantes afetados pela falta de parte do exame no caderno de provas. No entanto, a Justiça Federal no Ceará suspendeu o Enem e quer que todo o exame seja refeito porque um lote de 21 mil cadernos de prova amarelos apresentou defeito de montagem e não continha todas as 90 questões aplicadas no sábado (6).

A UNE criou uma central para receber reclamações de participantes e já contabiliza cerca de 850 contatos, via e-mail e ligações telefônicas. Além do erro nos cadernos amarelos, outro problema ocorreu na folha em que os estudantes marcam as respostas das questões, que estava com o cabeçalho das duas áreas trocado – ciências humanas e ciências da natureza. Apesar das questões de 1 a 90 seguirem uma ordem numérica, o erro pode ter induzido candidatos a marcar o gabarito de forma incorreta.

Além de queixas sobre esses dois principais problemas, a UNE também recebeu reclamações de participantes que se disseram afetados pela falta de preparo dos fiscais de prova em orientá-los, uso de materiais proibidos pelo edital – como celular e relógio – e tumultos causados durante a aplicação em função dos erros da prova. Por isso, a entidade é contra a anulação do exame para que a maioria possa ter acesso a sua nota, mas é favorável a uma segunda prova para todos os estudantes que se sentiram lesados.

“O exame não deve ser anulado já que mais de 3 milhões fizeram a prova sem problemas, em condições adequadas e têm direito a uma nota. Defendemos que todos os que foram prejudicados tenham direito a refazer o exame e estamos convencidos que não há como definir esses critérios [de quem foi ou não prejudicado]. A saída mais equilibrada é fazer um segundo Enem opcional e quem quiser participar abre mão da sua nota inicial”, defende o presidente da entidade, Augusto Chagas.

De acordo com Chagas, a UNE pediu uma audiência com o ministro da Educação, Fernando Haddad, para apresentar a proposta. Os candidatos podem entrar em contato com a entidade pelo endereço eletrônico [email protected] ou pelo telefone (0xx11) 2771-0792, de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h.

Mais Sobre Cultura

Tudo pronto para o desfile da Banda do Vai Quem Quer

Tudo pronto para o desfile da Banda do Vai Quem Quer

A presidente do maior bloco de carnaval de rua da Região Norte do país, Siça Andrade, confirma que já está tudo pronto para a Banda invadir as ruas e

ExpoPorto 2020 inicia preparativos com a proposta de trazer novidades

ExpoPorto 2020 inicia preparativos com a proposta de trazer novidades

Com previsão de acontecer em agosto deste ano, a Exposição Agropecuária Festa Tecnológica de Porto Velho (ExpoPorto) promete trazer grandes novida

Mercado Cultural terá cinco eventos em três dias de folia

Mercado Cultural terá cinco eventos em três dias de folia

A prefeitura de Porto Velho, através da Fundação Cultural (FUNCULTURAL) preparou uma super programação de Carnaval que inclui atividades para crianças

Liga sai em defesa dos blocos carnavalescos de trio elétrico de Porto Velho

Liga sai em defesa dos blocos carnavalescos de trio elétrico de Porto Velho

O presidente da Liga dos Blocos Carnavalescos de Porto Velho Mavignier Ferro falou na manhã desta quarta-feira sobre a intenção de alguns ativistas cu