Porto Velho (RO) terça-feira, 23 de outubro de 2018
×
Gente de Opinião

Cultura

Seminário organizado pelo ANDES reúne mais de 1.500 pessoas


Realizou-se ontem, 30, no auditório da Catedral Sagrado Coração de Jesus, o seminário “A Construção das hidrelétricas do rio Madeira: Impactos sociambientais e alternativas energética”, organizado pela secretaria da Regional Norte 1 do Sindicato dos Docentes das Instituições de Ensino Superior-SN, reuniu mais de mil e quinhentas pessoas.

No evento pretendia-se debater com aqueles que defendem a favor e com os contrários a construção das usinas, mas embora tenham sido convidados com antecedência, Furnas, Odebrecht e o Comitê Prró-Usinas, que defendem a posição a favor, não compareceram e não justificaram a ausência. Participaram do debate somente os que têm posição contrária, o professor da UNIR, Arthur Moret, coordenador do Instituto Madeira Vivo, o professor Luis Fernando Novoa coordenador do Fórum Independente Popular, e o senhor José Alves Pereira, ribeirinhos, representaram posições crontráias.

Para o vice-presidente regional norte 1 do ANDES-SN, professor Adilson Siqueira que coordenador do seminário, diz que a ausência não justificada dos empreendedores e do Comitê Pró-Usinas, demonstra a falta de preparo tanto técnico, quanto político para discutir academicamente o assunto, pois no seminário reuniram-se as pessoas que conhecem profundamente a realidade Amazônia. A ausência dele demonstra que somente estão preocupados com o lucro e enfatiza “reunimos mais de mil e quinhentas pessoas, o maior evento do gênero, e eles se quer justificaram a sua ausência”.

Para Adilson Siqueira “faz-se necessário discutir energia e suas fontes alternativas, fontes essas que possam garantir o presente e o futura da sociedade, mas, precisamos partir dos estudos já existentes. Não vamos aceitar projetos que venham de cima para baixo, sem discutir a verdadeira vocação da Amazônia”. E conclui dizendo “os governos tanto municipais, quanto estaduais e federal estão se querendo tapar o sol com a peneira, estão vinculando emprego a usinas. Queremos sim emprego e energia, até porque em Rondônia sobra energia e mesmo assim, falta emprego, em Porto Velho existe um déficit maior do que o prometido pelos empreendedores; compete os governos buscarem soluções e não agirem de forma demagógica e com população humilde”.

Segundo o vice-presidente do ANDES-SN, a sociedade está se mobilizando, mas precisam avançar muito, os trabalhadores precisam se aglutinar em uma nova central que possa de fato representar a classe trabalhadora, destaca Siqueira.

Fonte: Adilson Siqueira de Andrade - 2ºvice-presidente Regional Norte 1 do ANDES-SN

Mais Sobre Cultura

Wankabuki lança campanha de financiamento coletivo

Wankabuki lança campanha de financiamento coletivo

O Grupo de Teatro Wankabuki, sediado no município de Vilhena (RO), lançou através da plataforma Catarse, uma nova campanha de financiamento coletivo p

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

O Grupo de Teatro Wankabuki, de Vilhena (RO), realizará entre os dias 17 e 26 de outubro uma série de apresentações da peça “À Margem” nos municípios

Professor Aleks Palitot doa livros para escola municipal infantil

Professor Aleks Palitot doa livros para escola municipal infantil

Na tarde de quinta-feira (11), o Professor Aleks Palitot visitou a Escola Municipal de Educação Infantil Prof.ª Ronilza Cordeiro Afonso Dias, na Zona