Porto Velho (RO) domingo, 21 de outubro de 2018
×
Gente de Opinião

Cultura

Revisão e reimpressão de apostilas sem ônus para o Estado


 

Por determinação do Governo do Estado nenhum aluno da rede estadual será prejudicado com a qualidade do ensino em função das falhas detectadas nas apostilas distribuídas este ano. Durante entrevista na manhã desta segunda-feira (28), no Gabinete da Secretaria da Educação (Seduc), em Porto Velho, o gerente de Negócios e Relacionamento com o Cliente, Augusto César Conforto, da Editora Expoente, responsável pela elaboração do material, garantiu que todo o conteúdo de história e geografia está sendo revisado por uma comissão presidida pelo professor Marcos Teixeira, da Universidade Federal de Rondônia (Unir), para ser redistribuído, em até 30 dias, sem quaisquer ônus para o Estado.

A convocação da coletiva foi feita pelo secretário da Educação rondoniense, professor Edinaldo Lustoza, com a proposta de reafirmar e tranqüilizar os cidadãos rondonienses sobre as medidas adotadas pelo Estado logo que as falhas foram apontadas nos primeiros cinco mil exemplares entregues aos alunos, de um total de 54 mil adquiridos. Lustoza fez questão de frisar que além da revisão e reimpressão do material, a Expoente arcará também com os custos para a redistribuição nas escolas.

Entre os pontos que geraram discórdia, está a substituição do adjetivo rondoniense por rondoniano, que a editora Expoente, conforme seu representante, encontrou respaldo em alguns dicionários e até mesmo no Almanaque Abril. Enquanto para alguns escritores o uso do primeiro termo é adequado para os nascidos ou produtos típicos de Rondônia e o segundo seria para os radicados no Estado.

“Tão logo os erros foram apontados, nossa primeira medida, em atendimento ao governador Ivo Cassol, que zela pela educação de qualidade, foi informar à empresa Expoente e depois destacar uma comissão formada por geógrafos, historiadores e escritores locais”, disse o secretário, que fez questão de explicar que a opção pelo professor Marcos Teixeira deu-se pela própria Expoente e não por indicação da Seduc, que apresentou apenas os nomes dos conhecedores da história e geografia do Estado.

Lustoza ressaltou também que a Educação rondoniense vem recebendo atenção especial, desde 2003, com investimentos maciços promovidos pela administração Ivo Cassol, que têm resultado na melhoria da qualidade do ensino, fato confirmado na edição de 2007 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), quando Rondônia ficou em primeiro lugar na região Norte com a prova objetiva.

Já Augusto Conforto revelou que em seus 40 anos de fundação, a Expoente está entre os 13 maiores grupos que atuam no mercado de sistemas de ensino do País, responsáveis pela elaboração de materiais didáticos e redes de ensino. Exemplo disso, segundo ele, é que o Colégio Expoente, localizado em Santa Catarina, ficou em segundo lugar no Enem 2007, com médias de 75,71 na prova objetiva e 71,24 na redação.

Conforto reforçou que além da revisão, o material foi ampliado de 24 para 70 páginas e será impresso separado. Ele ainda aproveitou para destacar que, através dessas apostilas, Rondônia tornou-se o Estado pioneiro no País com o ensino da história afro-brasileira, cuja disciplina passou a ser obrigatória por força da Lei 10.639/2003, regulamentada este ano pelo Governo Federal, com a publicação no Diário Oficial da União em 11 de março.

Fonte: Veronilda Lima
 

Mais Sobre Cultura

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

O Grupo de Teatro Wankabuki, de Vilhena (RO), realizará entre os dias 17 e 26 de outubro uma série de apresentações da peça “À Margem” nos municípios

Professor Aleks Palitot doa livros para escola municipal infantil

Professor Aleks Palitot doa livros para escola municipal infantil

Na tarde de quinta-feira (11), o Professor Aleks Palitot visitou a Escola Municipal de Educação Infantil Prof.ª Ronilza Cordeiro Afonso Dias, na Zona