Porto Velho (RO) domingo, 19 de janeiro de 2020
×
Gente de Opinião

Cultura

Pesquisas da São Lucas com apoio do governo de SP


A Faculdade São Lucas, em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), participa de projetos de pesquisas que recebem apoio financeiro do Governo de São Paulo. São dois projetos distintos cuja soma supera R$ 180 mil e têm por objetivos evidenciar a ocorrência de 2 tipos de filarioses nas populações rondonienses: a filariose bancroftiana e a mansonelose. A filariose bancrofiana, cujas formas graves apresentam-se sob a forma de elefantíase (inchaço de membros e genitais), é trasmitida pelo mosquito comum de nome Culex quinquefasciatus e causada pelo verme Wuchereria bancrofti. Esta parasitose já foi identificada em Porto Velho e Guajará Mirim, em 1950, porém todos os portadores eram oriundos de outros estados. Desde então, nada foi feito e atualmente não se sabe se esta parasitose ainda ocorre no estado.

O objetivo do projeto é evidenciar a ocorrência e permitir tratar os pacientes antes que evoluam para as formas graves da doença e controlar a doença. A Universidade Federal de Alagoas (UFAL), sob coordenação do Professor Gilberto Fontes, será responsável pela capacitação de pessoal para identificação das filárias no sangue humano e para a verificação da presença do parasita no mosquito transmissor, através da moderna técnica da PCR que detecta traços de material genético do verme. Esta doença ocorre em áreas urbanas e pobres em saneamento ambiental. Serão estudados os bairros do Triângulo, Baixa da União e Candelária.

A mansonelose, por sua vez, afeta áreas ribeirinhas e é transmitida pela picada do "pium" ou "borrachudo". No estado do Amazonas, algumas populações têm de 30% e 60% das pessoas infectadas. Não se sabe exatamente se a infecção pelo parasita (Mansonella sp.) causa doença. Alguns relatos referem-se à ocorrência de febre, mal-estar e lesões nos olhos. O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), sob a coordenação do Professor Jansen Medeiros, será responsável pela capacitação de pessoal para identificação das filárias no sangue humano e para a verificação da presença do parasita no mosquito transmissor. Serão estudadas áreas do médio Madeira, Machado e Rio Preto.

Na opinião do Professor Luís Marcelo Aranha Camargo, consultor do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) do Ministério da Saúde e coordenador geral dos 2 projetos, além do saudável envolvimento de alunos e professores em atividades de pesquisa (são 2 doutores, 2 mestres e 8 alunos de iniciação científica) e da parceria multi-institucional, o foco dos projetos é de extremo interesse regional e pode auxiliar na melhora da qualidade de vida da população ribeirinha, urbana e rural de Rondônia.

Fonte: Chagas Pereira

Mais Sobre Cultura

Orquestra Villa-Lobos de Porto Velho abre seleção para novos músicos voluntários e com bolsas de incentivo

Orquestra Villa-Lobos de Porto Velho abre seleção para novos músicos voluntários e com bolsas de incentivo

Aprovado pelo Ministério da Cidadania por meio da Lei Federal de Incentivo `Cultura e com o apoio do SICOOB, O Instituto Cultural Villa-Lobos de Port

Cultura popular em praça pública de Porto Velho

Cultura popular em praça pública de Porto Velho

Apaixonada pelas rimas, com dedicação à poesia e à prosa desde os 7 anos, a poetisa Maria de Nazaré Melo, 52 anos, não poupou elogios ao falar do proj

Porto Velho: apresentações culturais na Praça Getúlio Vargas são opções de lazer nesse fim de semana

Porto Velho: apresentações culturais na Praça Getúlio Vargas são opções de lazer nesse fim de semana

Com uma belíssima iluminação decorativa e apresentações culturais, a Praça Getúlio Vargas tornou-se um dos lugares mais visitados nesse fim de ano em

Noite em Homenagem ao Samba no SESC Esplanada

Noite em Homenagem ao Samba no SESC Esplanada

O Dia Nacional do Samba, foi comemorado em todo país na segunda-feira (02) e para celebrar a data com muita alegria e gingado, o que o ritmo proporcio