Porto Velho (RO) sexta-feira, 24 de janeiro de 2020
×
Gente de Opinião

Cultura

OPINIÃO: CRÍTICA DE TEATRO


 
 Jória Lima (*)


JÁ PASSAM DAS OITO, comédia que estreou no último sábado, 12 de junho, com a Cia de Teatro Fiasco, merece ser vista não só para prestigiarmos um autor local (caso raro que devemos relevar sempre, dada a difícil arte de escrever para teatro), mas para conferir a ousadia e a coragem que Fabiano Barros teve de trazer a público um texto baseado em fatos reais evidentemente elevados a enésima potência humorística e de aparente banalidade.

Duas tias velhas e ciumentas de seu sobrinho, o qual impedem a todo custo que se case, o que a princípio parece banal é tornado cômico em virtude das hipérboles textuais e da excelente performance do elenco (Alexandre Lemos como Tia Nalda, Juraci Júnior como Tia Alda, William Bezerra como Valdinho e Andressa Romão como Maria Louisa) e a direção justa do próprio Fabiano. Devemos ressaltar também a elegância do figurino e cenário de Einstein Berguerand e a maquiagem precisa de Alexandre Braga, que aliás dá um show de interpretação de tal modo que chegamos a crer em vários momentos que se trata mesmo de uma de nossas tias velhas, atuação na medida justa, o que é difícil de encontrar no gênero besteirol.

Aliás, essa é outra discussão: o gênero. Li uma crônica há algum tempo intitulada “Quem tem medo do besteirol?” de Andréa Trompczynski que nos chama atenção exatamente para o fato de que rir é algo de que todo mundo gosta e precisa mas, que alguns têm vergonha de assumir que riem do Tiririca, do Tom, das videocassetadas, do Caco Antibes, etc.

E, caros colegas e leitores, eu devo confessar que durante muito tempo pertenci a este mesmo grupo de pessoas avessas ao riso fácil, felizmente a maturidade nos põe às avessas novamente, vemos o mundo com outros olhos, já distantes da necessidade de provar algo à alguém. Assim, definir o espetáculo como pertencente ao gênero besteirol pode ser um tanto perigoso porque pode afastar a intelligentsia local que preferirá continuar carregando seu Zaratustra de bolso sem nunca terminar de ler ou retomar a Montanha Mágica de Thomas Mann pela décima vez no capítulo um, enfim...para os quais rir é algo pecaminoso, privado, que só se faz escondido, quando ninguém mais está diante da tv.

Felizmente nos libertamos desses e outros tabus para podermos sair de casa e rir sem culpa numa alegria compartilhada que o espetáculo teatral nos proporciona, nesta confraternização popular onde nos reconhecemos e degustamos a sensação apaziguadora de pertencimento de grupo. Então, vá ao teatro Banzeiros, sábados e domingos até o dia 04 de julho. Horário: 20h30. Informações: (69) 8421-0414 ou 3227-9155.

(*) - autora teatral

Mais Sobre Cultura

Orquestra Villa-Lobos de Porto Velho abre seleção para novos músicos voluntários e com bolsas de incentivo

Orquestra Villa-Lobos de Porto Velho abre seleção para novos músicos voluntários e com bolsas de incentivo

Aprovado pelo Ministério da Cidadania por meio da Lei Federal de Incentivo `Cultura e com o apoio do SICOOB, O Instituto Cultural Villa-Lobos de Port

Cultura popular em praça pública de Porto Velho

Cultura popular em praça pública de Porto Velho

Apaixonada pelas rimas, com dedicação à poesia e à prosa desde os 7 anos, a poetisa Maria de Nazaré Melo, 52 anos, não poupou elogios ao falar do proj

Porto Velho: apresentações culturais na Praça Getúlio Vargas são opções de lazer nesse fim de semana

Porto Velho: apresentações culturais na Praça Getúlio Vargas são opções de lazer nesse fim de semana

Com uma belíssima iluminação decorativa e apresentações culturais, a Praça Getúlio Vargas tornou-se um dos lugares mais visitados nesse fim de ano em

Noite em Homenagem ao Samba no SESC Esplanada

Noite em Homenagem ao Samba no SESC Esplanada

O Dia Nacional do Samba, foi comemorado em todo país na segunda-feira (02) e para celebrar a data com muita alegria e gingado, o que o ritmo proporcio