Porto Velho (RO) terça-feira, 23 de outubro de 2018
×
Gente de Opinião

Cultura

FANFARRAS: Euclides Maciel questiona Tribunal de Contas


Ao elogiar a participação de escolas e estudantes no desfile de 7 de setembro, no município de Ji-Paraná, principalmente a escola Júlio Guerra, o deputado Euclides Maciel (PSDC) lamentou que “os alunos, mesmo entusiasmados, não puderam fazer melhor exibição de suas fanfarras porque os tambores apresentados, em sua grande maioria, estavam estragados”. Disse que procurou saber junto à Seduc qual o motivo de os instrumentos musicais estarem quebrados e foi informado de que é o Tribunal de Contas do Estado que não autoriza a compra de tambores para fanfarras.

Em tom forte, Euclides Maciel questionou se “os integrantes do Tribunal de Contas ao menos sabem o que é fanfarra. Sabem o bem que os instrumentos fazem aos estudantes que, entusiasmados, sempre procuram fazer grandes apresentações ao público, além de contribuir para a motivação cultural da juventude”. O parlamentar assegurou que “fiquei perplexo ao ver os alunos procurarem, de todas as formas, dar tudo de si na condução de suas escolas durante o desfile em homenagem à Pátria, não conseguindo simplesmente porque os tambores estavam quebrados e produziam som de baixa qualidade”.

Euclides Maciel disse que foi pessoalmente à Secretaria de Educação (Seduc) saber por qual razão as fanfarras não se apresentaram a contento no 7 de setembro, apesar de seus integrantes estarem bem vestidos, e lhe foi apresentado documentos de que Tribunal de Contas do Estado, por duas ocasiões, não aprovou a compra de tambores. “Fiquei decepcionado com o que vi na Seduc. Acredito que o pessoal do TCE não conhece fanfarras e nem procuram saber o bem que elas fazem aos estudantes e suas escolas. Pior que pude constatar, também, que até a aquisição, através de compra, de hinos do Brasil e de Rondônia para serem tocados nas escolas foi proibida pelo Tribunal de Contas. Agora, vejo aqui na Assembléia Legislativa um projeto que propõe a adoção de uma gratificação de R$ 400,00, a título de auxílio alimentação, para cada servidor do TCE. Não tenho nada contra nenhum servidor do Tribunal, mas só vou dar apoio a esse projeto se o mesmo benefício for estendido aos servidores da Assembléia Legislativa. Os servidores desta Casa de Leis também são merecedores desse benefício, em forma de gratificação. Acreditam que os demais deputados apóiam essa idéia”, completou.

Fonte: Decom

Mais Sobre Cultura

Wankabuki lança campanha de financiamento coletivo

Wankabuki lança campanha de financiamento coletivo

O Grupo de Teatro Wankabuki, sediado no município de Vilhena (RO), lançou através da plataforma Catarse, uma nova campanha de financiamento coletivo p

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

O Grupo de Teatro Wankabuki, de Vilhena (RO), realizará entre os dias 17 e 26 de outubro uma série de apresentações da peça “À Margem” nos municípios