Porto Velho (RO) quarta-feira, 29 de janeiro de 2020
×
Gente de Opinião

Cultura

Documentário mostra a origem e os bons momentos do futebol amazonense



Assim como em outras áreas como economia e cultura, Manaus já teve os seus dias de ‘Bélle Époque’ no futebol. Esse período, com estádios lotados, campeonato interessante e presença de astros do futebol brasileiro e mundial está retratado no documentário ‘Amazonas, o jogo da bola’, do diretor Chicão Fill e é o filme selecionado para exibição no projeto Cinema nos Bairros, parte da programação tradicional do Festcineamazônia. O filme será exibido no dia 7 de outubro,  Campo do AMAS (Amigos Associados), no bairro Nova Esperança.Documentário mostra a origem e os bons momentos do futebol amazonense - Gente de Opinião

Realizado pela Amazon Film, produtora amazonense com 12 anos no mercado de áudiovisual nacional e internacional, o filme conta a história do Futebolno Amazonas, desde os primórdios- incluindo o primeiro registro no Brasil de um jogo de bola no século XIII por um europeu- até os dias atuais, numa cronologia de tempo que resgata também a força econômica de Manaus no fim do século XIX. A capital amazonense foi a primeira cidade no país a receber o jogo de futebol de regra inglesa, originando assim o primeiro campeonato centenário

A força do documentário está em resgatar imagens históricas e mostrar as duas melhores décadas do futebol amazonense, os anos 60 e 70. Para isso conta com depoimentos de ex-jogadores, dirigentes de clubes e jornalistas que testemunharam e vivenciaram o período. Manaus foi a cidade que recebeu o último jogo da seleção brasileira antes do embarque para a conquista do tri-campeonato no México em 1970.

Selecionado para a mostra competitiva do Cinefoot 2015, realizado no Rio de Janeiro, o documentário é resultado de quatro anos de intensa pesquisa de Chicão Fill em sua estréia como diretor. “É um produto feito com esmero para desmitificar os preconceitos em relação ao futebol amazonense. A intenção dele é glorificar a história do futebol amazonense”, afirma.

Além de viajar à Europa em busca de registros fotográficos, vídeos e entrevistas, Fill contou com a ajuda imprescindível dos historiadores e homens do futebol amazonense. O trabalho de pesquisa trouxe à tona “tesouros perdidos” que revelam por meio de documentos e registros históricos a glória do futebol amazonense. “Confesso que fiquei indignado com a forma como a imprensa nacional tem tratado o futebol do Estado como se não tivéssemos uma história. O Futebol como conhecemos hoje já era praticado aqui antes que o inglês Charles Miller entrasse em cena”, defende.

O documentário traça uma linha cronológica entre os primeiros registros oficiais e extraoficiais da prática do futebol no Amazonas. “O Brasil deve saber qual é a verdadeira história dos primórdios do futebol. E ela começou por aqui, ao contrário do que dizem os historiadores e a imprensa no sul e sudeste do Brasil”, conta Fill.

Como tudo em Manaus, a história está entrelaçada com o ciclo econômico da borracha. O documentarista diz que no final do século 19 as fábricas surgidas depois da Revolução Industrial ganharam produtividade com o uso do material coletado nas seringueiras da Amazônia. A cidade se tornou uma potência econômica internacional e local em que mais se comprava diamantes no mundo. Com dinheiro sobrando, investimentos em infraestrutura foram realizados.

As concessões para fazer as obras e explorar serviços ficaram a cargo dos ingleses, que trouxeram hábitos próprios como o chá das 5, o tênis e o futebol. Fill relata que nas entrevistas descobriu que os primeiros relatos de jogo de futebol em Manaus datam de 1890. Ele afirma que era um esporte para a elite e jogado com bolas trazidas da Europa.

Os participantes eram majoritariamente jovens e pertenciam a famílias inglesas vindas em navios de Londres e Liverpool, que moravam em áreas afastadas do centro de Manaus. Não havia interesse em interagir com a população local. Eles construíram chácaras em áreas por onde hoje passa a avenida que leva a Arena Amazônia. Os moradores das classes sociais mais baixas da cidade não sabiam nem o nome do esporte. Chamavam-no de "o jogo da bola".

O Festcineamazônia 2015 tem o patrocínio do BNDES, Petrobras, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Prefeitura de Porto Velho, Funcultural, Governo de Rondônia através da SEJUCEL, Sesc Rondônia, Iphan. O Festcineamazonia é membro do Greenfilm Network e do Fórum dos Festivais.

Fonte: Jurandir Costa
 

Mais Sobre Cultura

Agenda de shows e gastronomia do Mercado Cultural de Porto Velho

Agenda de shows e gastronomia do Mercado Cultural de Porto Velho

Os cantores Silvinho Santos, Roosevelt Matos, Edmilson Gama, Iná, Jailton dos Teclados, Beto Cezár, Grupo Melodia e o Trio Forrozada, são as atrações

Orquestra Villa-Lobos de Porto Velho abre seleção para novos músicos voluntários e com bolsas de incentivo

Orquestra Villa-Lobos de Porto Velho abre seleção para novos músicos voluntários e com bolsas de incentivo

Aprovado pelo Ministério da Cidadania por meio da Lei Federal de Incentivo `Cultura e com o apoio do SICOOB, O Instituto Cultural Villa-Lobos de Port

Cultura popular em praça pública de Porto Velho

Cultura popular em praça pública de Porto Velho

Apaixonada pelas rimas, com dedicação à poesia e à prosa desde os 7 anos, a poetisa Maria de Nazaré Melo, 52 anos, não poupou elogios ao falar do proj

Porto Velho: apresentações culturais na Praça Getúlio Vargas são opções de lazer nesse fim de semana

Porto Velho: apresentações culturais na Praça Getúlio Vargas são opções de lazer nesse fim de semana

Com uma belíssima iluminação decorativa e apresentações culturais, a Praça Getúlio Vargas tornou-se um dos lugares mais visitados nesse fim de ano em