Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de abril de 2019
×
Gente de Opinião

Cultura

ARTIGO: ANIVERSÁRIO DO MUNICÍPIO - MÚSICA NO ASFALTO



“mesas e cadeiras na rua, era sala de visitas da cidade. Lá, as pessoas cantado os refrões, amigos rememorando fatos e causos, debatendo o presente, o futuro... que bom Porto Velho assim livre, artística, cultural, que bom!” 

À noite, em meio a chorinhos e sambas, a pulsante e palpitante cidade porto fechou uma de suas mais movimentadas artérias (a Rua Carlos Gomes) e rendeu-se ao apelo da cultura popular. E assim, aos muitos, fomos lá pro meio da rua assistir e participar de mais um espetáculo cultural, dentro da programação de aniversário do município que se estende até o próximo mês de outubro. Na ensolarada tarde de sexta-feira (18/set), logo cedo, o movimento no Villas Bar e naqueles arrabaldes, antecipava o que mais tarde seria uma verdadeira confraternização em torno da boa música, ou seja, o encontro da cidade com os shows do Trio Cordas que Choram e Prisma Luminoso, num merecido parabéns pra você - homenagem ao município em seus 95 anos. A rotina do centro da cidade, à tardinha, sugeria outra coisa que não o apressado vai e vem, deixando exalar um aroma de poesia pelo ar que ia além dos limites fronteiriços do Villas Bar, adentrava as janelas dos carros e acometia os transeuntes num arrebatador convite para logo mais, no inebriante encontro. Nem bem a noite caiu e a confluência da Carlos Gomes com a Marechal Deodoro fora interditada, os primeiros notívagos começaram a se abancar nas mesas em pleno asfalto, ávidos por acordes de violão e cavaquinho, sedentos de cultura popular. O evento realizado pela Fundação Iaripuna foi uma overdose de regionalidade, de brasilidade musical. Na primeira metade da programação, Genézio, Nicodemos e Júnior Johnson, um trio de afamados chorões locais, luxuosamente acompanhados do baterista e professor Júnior Lopes, abriram a noite com um envolvente e amplo passeio pelo universo dos chorinhos folheando páginas musicais que foram de Valdir Azevedo a Jacó do Bandolim, para deleite da atenta e participativa platéia. Veio um breve intervalo, e o poeta, ator e educador popular Carlos Macedo Dias, o Mado, entrou em cena para uma rápida intervenção cênica, compondo um painel temático entre o passado e o presente, com retalhos históricos da cidade. Era só um esquenta do ainda estava por vir porque, logo em seguida, o Bubú Johnson subiu ao palco ancorado num bem escolhido repertório, com variações melódicas que iam daqui pra lá e vinham de lá pra cá, ou seja: mesclando Paulinho da Viola e Dadá do Areal, Elton Medeiros e Bainha, Noel Rosa e Sílvio Santos, Chico Buarque e Ernesto Melo, num entrelaçamento perfeito entre a musicalidade que emana dos bambas daqui, com o som dos bambas de lá dos outros longes da nossa terra brasilis. Resultado: a cidade, ouviu, viu e percebeu que, mesmo com a pressa e turbulência do crescimento, ainda se pode interditar uma rua – lá no centro nevrálgico da cidade – para assentar bons e qualitativos programas culturais, num demonstrativo de que jamais pode, a nossa urbe, romper com esses marcantes legados culturais. E tão belo e importante foi que, os longes culturais do Brasil se fizeram mais que próximos, avizinhados, se fizeram presentes, possíveis e palpáveis, na singela - porém brilhante - providência e performance de alguns dos nossos gorjeantes artistas desse rincão karipuna.

Por: Altair Santos (Tatá)
Pres. Fundação Iaripuna

Mais Sobre Cultura

4 Curiosidades sobre o sacrifício de animais nas religiões afro-brasileiras

4 Curiosidades sobre o sacrifício de animais nas religiões afro-brasileiras

Existem diversas religiões afro-brasileiras em grande crescimento no Brasil que defendem o sacrifício de animais para vários fins.Pode parecer algo

Escolas podem agendar visita à exposição que celebra o amor, a vida e a morte

Escolas podem agendar visita à exposição que celebra o amor, a vida e a morte

As instituições de ensino interessadas em agendar uma visita, seguida de debate, às duas exposições fotográficas multimídia “O Amor é Filho do Tempo”

União de conhecimento científico e tradicional é foco de encontro de parteiras da Amazônia

União de conhecimento científico e tradicional é foco de encontro de parteiras da Amazônia

Aconteceu em Tefé, no Amazonas, o 12ª Encontro de Parteiras com o objetivo de disseminar técnicas para aprimoramento de partos em comunidades da Amazô

Museu do videogame itinerante acontecerá em abril no Porto Velho Shopping

Museu do videogame itinerante acontecerá em abril no Porto Velho Shopping

Porto Velho, 03 de abril de 2019 - De 13 a 28 de abril, o Porto Velho Shopping receberá o Museu do Videogame Itinerante. Com entrada gratuita e aberta