Porto Velho (RO) sexta-feira, 16 de abril de 2021
×
Gente de Opinião

Robson Oliveira

Sistema de saúde está em colapso + Vacina já! + Uma vergonha + Precipício


Sistema de saúde está em colapso + Vacina já! + Uma vergonha + Precipício  - Gente de Opinião

PANDEMIA 

Todas as previsões dos pesquisadores sobre o coronavírus apontam Rondônia como preocupante nos próximos meses. Hoje todo o sistema de saúde está em colapso e o número de óbitos aumenta assustadoramente. As ações governamentais são insuficientes para conter o caos, visto que a área de saúde estadual, além das municipais, não consegue planejar as ações e nem atender a população a contento.  

 

IRRESPONSABILIDADE 

Embora seja da responsabilidade das autoridades políticas ações efetivas para evitar que a pandemia continue ceivando vidas de forma avassaladora, a irresponsabilidade das pessoas em insistir levar a vida dentro da “normalidade” com aglomerações contribui de forma crucial para ampliar a crise sanitária que Rondônia está imersa. Falta em parte considerável da população empatia, respeito à vida e responsabilidade. Não adianta apenas as autoridades emitirem decretos restritivos caso a população não tome consciência em cumprir as medidas preventivas que são indispensáveis no enfrentamento ao COVID.  

 

VACINA JÁ!  

É ínfima ainda a quantidade de pessoas imunizadas com a vacina distribuída pelo Ministério da Saúde, em todo o Brasil. Em Rondônia, caso não haja aquisição de mais vacinas, chegaremos ao final de 2021 com aumento apenas dos óbitos. Ano passado, o prognóstico feito por uma comissão de especialistas indicando colapso com a Covid, foi ironizado por vários segmentos rondonienses, inclusive de profissionais da imprensa engajados neste insano debate ideológico. Hoje, a realidade, é próxima ao prognóstico feito sob encomenda de uma autarquia médica local. É preciso que nossos governantes façam um esforço e comprem vacinas para imunizar a população, com urgência.  O STF deu sinal verde para governadores e prefeitos providenciarem o imunizador. Apesar de alguns "juristas" falastrões de plantão terem feitos previsões jurisprudenciais diversas sobre a regra. 

 

PRECIPÍCIO 

É uma lástima a orientação dada por uma comissão supostamente de especialistas que produziram uma nota técnica sugerindo o retorno das aulas presenciais em Rondônia. Lendo o que foi produzido revela-se  que tais “especialistas” não observaram os estudos científicos e as previsões de dias tenebrosos, haja vista que não há concretamente um cenário sanitário favorável ao retorno à vida “normal”. Pelo contrário, as previsões são catastróficas e sem perspectiva de imunização em massa. Reabrir as escolas nos próximos dias, sem que haja vacinas suficientes nem para os profissionais de saúde, é jogar os trabalhadores da educação e os alunos e familiares ao precipício. A nota técnica que avaliza a reabertura é passível de questionamento. Com a palavra a comunidade científica.  

 

INDIGNIDADE 

Uma profissional da saúde, lotada no Hospital de Base, divulgou pelo Facebook uma foto da alimentação servida aos profissionais que labutam nos plantões daquela unidade, o que revolta qualquer pessoa que teve acesso à imagem (embora este colunista tivesse pedido mais detalhes, o que ocorreu, a imagem foi bloqueada hoje, o que, para a coluna, deve ter sido para evitar retaliação). Percebe-se a indignidade com que valorosos profissionais da saúde são tratados pelo Governo de Rondônia. Profissionais que deveriam ser condecorados pela coragem e denodo são tratados indignamente. Uma vergonha.  

 

MANOBRA 

A nomeação da ex-prefeita de Cacoal Glaucione Rodrigues no gabinete do deputado estadual Cirone Deiró (PODEMOS), em razão das medidas judiciais a que está submetida, é semelhante ao caso da filha de Roberto Jeferson, Cristiane Brasil, que foi obrigada a desistir de uma assessoria na Assembleia Legislativa de São Paulo, pelo mesmo impedimento que em tese a ex-prefeita é alcançada. A manobra não colou no poder legislativo paulista e tem tudo para também não vingar no rondoniense, após questionamento judicial.  

 

MORALISTA 

O PODEMOS, em Rondônia, tem se firmado com um discurso moralista prometendo fazer da política uma atividade limpa. O ato do parlamentar Deiró, até o momento, não recebeu nenhuma censura da direção partidária. Aguardemos!  

 

DOSE DUPLA 

A partir no próximo mês esta coluna vai circular duas vezes por semana: terças e sextas. As sequelas da Covid afetaram a saúde do escriba, mas o juízo para traçar essas linhas meio tortas não sucumbiu ao vírus. A dose agora é dupla.  

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Robson Oliveira

Filiações para eleições de 2022 + Hildon Chaves desconversa + Marcos Rocha inerte + Zé do Gorro

Filiações para eleições de 2022 + Hildon Chaves desconversa + Marcos Rocha inerte + Zé do Gorro

FILIAÇÕES Com  a proximidade das eleições de 2022 os caciques começam a arregimentar filiados com possibilidades eleitorais para garantir o coeficie

Perplexidade é pouco + Marcos Rocha seria um  usuário do kit covid + uma suposta ruptura constitucional

Perplexidade é pouco + Marcos Rocha seria um usuário do kit covid + uma suposta ruptura constitucional

PERPLEXIDADE Ouvi atentamente uma entrevista concedida por um médico de São Paulo a uma emissora de rádio e TV da capital sobre o tratamento precoce

Eleições de 2022 + Vacinação + ANVISA + O lockdown não é a solução

Eleições de 2022 + Vacinação + ANVISA + O lockdown não é a solução

2022 Ao subir o tom das críticas contra a administração estadual e a municipal da capital em defesa das providências para conter o coronavírus, o de

Desprezo de Cassol + Animosidade entre Marcos Rocha e Leo Moraes + Prefeitos boquirrotos

Desprezo de Cassol + Animosidade entre Marcos Rocha e Leo Moraes + Prefeitos boquirrotos

DESPREZO Viralizou nas redes sociais um vídeo com o ex-senador Ivo Cassol (PP), supostamente ao lado de um cidadão acometido com Covid, manipulando