Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Renato Gomez

Crônicas do Velho Porto: Cão que corre atrás do rabo



Ele está deitado. Acomodado em sua rotina diária. Esparramado ao tapete da sala até se confunde com aquele. É Domingo, dia de permanecer ali deitado, afinal, todo domingo é assim: deitado observando o nada, apenas descansando de seu cotidiano dos dias de feira. Não que os dias de feira fossem muito diferentes, mas o Domingo era sagrado.

De repente, passa uma borboleta dourada. Ao bater de suas asas, o ofuscar do sol dá a impressão de que ela deixa um rastro de pó de ouro, mas são só as asas douradas. Ele a espreita, desperta do transe e a espreita, sorrateiro, tenta abocanhá-la, em vão. Ela bate as asas e escapa ligeira. Ele a perde de vista. Ela pousa em seu focinho, gelado e umedecido. Ele se sente provocado. Ela é só uma borboleta dourada. Ele a encara em um surto psicótico tenta abocanhá-la repetidas vezes em vão. Mas a ponto de que o Dono desviasse o olhar da televisão e fitasse-o com ar ranzinza por quebrar o ritual de silêncio e contemplação do Domingo.

Normalmente, ele baixaria a cabeça e se reclusaria obedecendo seu Dono, mas não hoje, não neste Domingo. Se sentira desafiado pelo animal alado e dourado e desafiaria seu Dono, indo contra o sagrado do Domingo. Grunhiu e latiu na direção da borboleta. Corria e saltava, tentando pegar-lhe às dentadas, enquanto ela apenas voava com suas asas douradas. Até que ela saiu pelo portão a fora. Ele surtou e pôs-se a latir e saltar sobre o portão insanamente.

O Dono se irrita brada, mas de nada adianta. Tenta alimentá-lo. Troca a água. Em vão. O animal está possuído pelo desejo de perseguir seu instinto. O Dono toma-lhe por louco e abre o portão. Agora ele teria que escolher entre ir atrás da borboleta atravessando pelo portão que nunca ousara atravessar, ou esquecer tudo aquilo e voltar a contemplar o Domingo.

Neste momento, o cão contemplou um novo objeto a perseguir. Ele balança peludo, mordido e desgrenhado, num ritmo egocêntrico, desfiando-lhe como em outras vezes. Saiu correndo em círculos atrás do rabo.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Renato Gomez

I Sarau Poetas de Porto Velho

I Sarau Poetas de Porto Velho

Com o intuito de unir e fortalecer o movimento literário da cidade de Porto Velho, em 28 de janeiro de 2015, foi criado o grupo Poetas de Porto Velho

POEMUSIC

POEMUSIC

  Domingo, 29 de maio, às 20h, no Grego Original, acontecerá o Poemusic. O evento traz apresentações das bandas portovelhenses Tuer Lapin e Prognoise,

O POETA RENATO GOMEZ LANÇA SEU 3º LIVRO

O POETA RENATO GOMEZ LANÇA SEU 3º LIVRO

  LANÇAMENTO Sábado, às 19 horas, na Casa de Cultura Ivan Marrocos, o poeta Renato Gomez lançará sua 3ª obra, o livro de poemas Versos Naturais. O eve

Crônicas da Nova Terra: A emboscada

Crônicas da Nova Terra: A emboscada

Por que esperar se podemos começar tudo de novo Agora mesmo A humanidade é desumana Mas ainda temos chance O sol nasce pra todos Só não sabe quem não