Porto Velho (RO) terça-feira, 15 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Paulo Saldanha

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Euro, Mon Oncle


CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Euro, Mon Oncle - Gente de Opinião

                    O Tio Euro veio passar uns dias aqui na fronteira e, para honra e glória da minha família foi nosso ilustríssimo hóspede.

 

                   Na companhia agradabilíssima do filho Eurinho e da nora Cecy Helena desfrutamos da excelente companhia que se traduz nos fluidos positivos que trouxeram, no alegre convívio e no manancial de bênçãos que distribuíram e se espraiaram pela nossa casa e por todo o entorno por onde transitaram!

 

                   Aliás, esse meu tio adotivo, a quem amo de montão é uma pessoa especialíssima, bonita da cabeça aos pés. Íntegro, jovial, sábio e inteligente, cada frase que expõe vem repleta de bom humor e lições de vida.

 

                   Como testemunha ocular de tudo o que aconteceu nesta terra de Rondon (afinal nasceu em 1922) vindo ainda muito menino para Santa Fé, no quase baixo rio Guaporé, viu e venceu, dando a sua contribuição, pelo menos, em tudo o que, sob os céus das terras matogrossenses, guaporenses e rondonienses, aconteceu a partir da década de 1930 até aqui.

 

                   No governo Juscelino Kubitscheck, por exemplo, viu e documentou para o seu Alto Madeira a derrubada da última árvore que permitiu a ligação terrestre entre Porto Velho e Cuiabá, na nascida BR-29, atual 364.

 

                   Assistiu a todas as posses de governadores, desde a primeira com o Aluízio Ferreira até a de Confúcio Moura. Olhou com desconfiança a chegada de tantos administradores e se comoveu com a vinda de outros que trouxeram força, energia e bons exemplos no comando dos nossos destinos, como a do seu amigo Jorge Teixeira de Oliveira, a quem com independência criticou e aplaudiu.

 

                   Construiu uma exemplar família com a sua sempre saudosa Maria do Carmo Kang Tourinho, falecida em fevereiro de 2017, clã que eleva e dignifica esta terra, pelos filhos, netos e netas, bisnetos e bisnetas com que presentearam a humanidade com os rebentos que se transformaram em cidadãos que abrilhantaram espiritualmente este rincão, legando-nos agrônomo cientista, reitores, cirurgiões dentistas, empresários, médicos, advogados e magistrada que tanto contribuíram e contribuem para o progresso sócio-econômico de toda esta geografia.

 

                   Conversar com o meu tio Euro Tourinho é elevar hinos à história, à cultura, ao jornalismo da primeira hora, às lembranças e à saudade, à virtude e às emoções...

 

                   E à cada frase e, durante toda a conversação, fazemos uma reflexão sobre a humildade e às lições de vida que nos compete como interlocutores a seguir-lhe o exemplo e, depois, colher a bem-aventurança dos seus ensinamentos em que ela (a humildade) lhe é tão espontânea e lhe brota do fundo da alma como um legado a transferir, sem que ele tenha a pretensão de outorgá-la como necessária mensagem de vida.

 

                   Pode ter, eventualmente, um ou outro defeito, como ser humano no particular, mas se sabe que ele cultiva o bem na sua essência e o distribui sem querer querendo, tanto que a sua descendência por transferência genética também o exercita, espalhando-o como princípio, direito e obrigação espiritual.

 

                   A amizade que lhe devoto é imensa e, eu sei, é retribuída na mesma intensidade e já nos alcança na quinta geração, como famílias que se amam e se respeitam.

 

                   Para mim esse meu tio Euro é um homem superior que se transfigura em anjo, um anjo de candura devidamente definível como um Ser Superior; ou será que é um dos Arcanjos, quem sabe um querubim, corporificado entidade de luz a serviço de Deus aqui nesta terra?

 

                   Além de tudo possui outra infinita virtude: sabe elevar a figura de uma mulher ao mais sublime dos lugares, já que elas merecem ao mesmo tempo um trono e um altar, exaltação e santificação maior do amor, da beleza, da sensibilidade e da sedução...

 

                   Por isso e por muito mais eu me ajoelho e beijo as suas venerandas mãos.

                   

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Paulo Saldanha

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Os principais e os coadjuvantes

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Os principais e os coadjuvantes

                      Aqueles que pensam que sozinhos são heróis, tomem tento! Sem o apoio, força, pensamento e ações de terceiros jamais chegariam

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Eu não sabia, mas até em Roma Bolsonaro tocou fogo

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Eu não sabia, mas até em Roma Bolsonaro tocou fogo

Não quero ser dramático, mas esse Macron, um boneco enfeitado, regido por sua mulher-presidente, um fantoche que morto não fará falta, anda tumultua

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Dois Homens “Brabos”

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES - Dois Homens “Brabos”

Eurácio Torito e Artuzin Pedregoso são dois homens valentes e desconheço macho mais macho que esses dois! Então de frente para um prato de comi

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES: A Família

CRÔNICAS GUAJARAMIRENSES: A Família

A Família, considerada célula mater - nem poderia deixar de ser -, é primordial como agente de socialização dos filhos gerados e também o principal