Porto Velho (RO) sábado, 25 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Montezuma Cruz

Árvore torta tem que ser vista como torta


 

MONTEZUMACRUZ
Amazônias

GUAJARÁ-MIRIM – Pouco depois do encontro das águas dos rios Pakaas-nova e Mamoré existe uma grande árvore torta. Esperamos que algum botânico ou engenheiro florestal identifique-a e mande dizer ao Amazônias de qual espécieÁrvore torta tem que ser vista como torta - Gente de Opinião ela é.

A viagem segue até a primeira praia, destino dos 13 ocupantes do barco Karine, no qual naveguei sábado passado (15/10). Lembrei-me de explicações de sábios a respeito. Uma delas diz:

“Diante de uma velha árvore torta, um pinheiro vergado pelo tempo, o sábio da aldeia ofereceu a sua própria casa como prêmio para aquele que conseguisse ‘enxergar o pinheiro na posição correta’.

Todos os moradores da aldeia se aproximaram e ficaram por longo período pensando em como seria e o que deveriam fazer para ‘enxergar o pinheiro na posição correta’.

Alguns se contorciam, outros se abaixavam, mas no final do dia nenhuma daquelas pessoas conseguiu ‘enxergar o pinheiro na posição correta’. Foi então que o sábio explicou ao povo ansioso:

– Ver esta árvore em sua posição correta é ‘vê-la como uma árvore torta’. Só isso.

Faz parte da natureza de pessoas de bem, querer ‘consertar as coisas e as pessoas’. Mas assim como árvores tortas devem ser enxergadas apenas como árvores tortas, também as pessoas, que segundo nosso ponto de vista precisam melhorar em determinadas áreas, devem ser vistas como seres humanos, que a exemplo de você, eu, e as árvores tortas, também possuem ‘pequenos defeitos’.

Se quisermos pela nossa própria força, endireitar uma árvore torta é bem provável que ela rache, quebre e morra”.

 

Siga Montezuma Cruz no
 Gente de Opinião

 
www.twitter.com/MontezumaCruz


 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Montezuma Cruz

Presença indígena há 7 mil anos revela uma Rondônia ainda desconhecida

Presença indígena há 7 mil anos revela uma Rondônia ainda desconhecida

Povoada há cerca de seis mil anos, floresta amazônica preservou vestígios dos povos antigos em Rondônia. Produção do SescTV acompanhou o trabalho de p

MEMÓRIA AMAZÔNICA - O repórter Montezuma na terra Kaxarari

MEMÓRIA AMAZÔNICA - O repórter Montezuma na terra Kaxarari

Breve relato de uma andança pela terra indígena Kaxarari entre Rondônia, Acre e Amazonas: em 1980 eu estava na Redação do jornal Porantim em Manaus, e

A grande pedra no caminho dos Suruís

A grande pedra no caminho dos Suruís

Como é que ela foi parar ali? É a primeira pergunta feita pelo visitante, ao encontrar essa pedra enorme numa inclinação do terreno à margem da estrad

Olhe aí, o Canadá de novo

Olhe aí, o Canadá de novo

O anúncio da chegada da empresa Canadá Rare Earth Corporation a Rondônia para explorar terras raras a partir do minério de estanho (cassiterita) trans