Porto Velho (RO) terça-feira, 1 de dezembro de 2020
×
Gente de Opinião

Lúcio Flávio Pinto

Pará tem a terceira pior renda da Amazônia


Pará tem a terceira pior renda da Amazônia - Gente de Opinião
O Pará tem a 3ª pior renda do Brasil e a pior da Amazônia. No País, fica atrás apenas de Alagoas /Foto Montezuma Cruz, em Belém


LÚCIO FLÁVIO PINTO
Jornal Pessoal

Uma família paraense padrão (ou média), com cinco integrantes, tem 24 reais para as suas despesas de cada dia. São R$ 715 por mês. Essa renda corresponde a apenas 75% do salário mínimo nacional. Cada família paraense é desfalcada de R$ 239 em relação ao mínimo individual, calculado para permitir ao menos a sobrevivência dos imndivíduos (e já nem isso permitindo nos nossos dias).

Comparativamente à média familiar dos brasileiros, de R$ 1.268, a discrepância é ainda maior:  são R$ 553 de diferença. No Distrito Federal, com a melhor renda (o que diz muito sobre este país burocratizado e corporativista), a renda média por família é mais de três vezes maior: R$ 2.548.

O Pará tem a 3ª pior renda do Brasil e a pior da Amazônia. No país, fica atrás apenas de Alagoas, do ex-presidente (e atual senador, em vias de se candidatar novamente ao Planalto) Fernando Collor de Mello (R$ 658), e do Maranhão, do também ex-presidente José Sarney (renda de R$ 597).

O Estado da Amazônia com a maior renda média familiar é Roraima, o 13º do ranking nacional, com R$ 1,006, com R$ 296 a mais do que as famílias do Estado mais rico da região, com sua elite mais presunçosa e presepeira.

Os dados são do Pnad, a Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar do IBGE.

Precisa dizer mais?

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Lúcio Flávio Pinto

A queimada da Volks

A queimada da Volks

Belém (PA)Hoje, 35 anos depois do incêndio recorde da Volks (que nunca mais voltou a pensar em montar bois), a alteração se aproxima de 20% da superfí

O réquiem do STF

O réquiem do STF

A sessão de ontem foi uma das mais lamentáveis e tristes da história do Supremo Tribunal Federal.

Sinais de intranquilidade

Sinais de intranquilidade

Grande parte da instabilidade que o país vive atualmente decorre de iniciativas do próprio Bolsonaro e dos seus filhos

Chico Mendes: 30 anos do assassinato do líder seringueiro

Chico Mendes: 30 anos do assassinato do líder seringueiro

Chico Mendes está sendo lembrado no mundo inteiro pelos 30 anos do seu assassinato.