Porto Velho (RO) sexta-feira, 29 de maio de 2020
×
Gente de Opinião

Lúcio Flávio Pinto

Light quer revisão de tarifa para compensar investimento na Rio 2016


 Ribeiro - Repórter do Radiojornalismo

A Light, distribuidora de energia elétrica da cidade do Rio de Janeiro, pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), uma revisão tarifária extraordinária para compensar o investimento de R$ 444 milhões em melhorias na rede de distribuição para os Jogos Olímpicos, que serão realizados de 5 a 21 de agosto próximo.

Segundo a presidente da empresa, Ana Marta Horta Veloso, a empresa está “com um pleito de revisão tarifária extraordinária na Aneel, que tem como um dos principais pontos a realização desses investimentos, que são prudentes e seriam feitos pela empresa, mas foram antecipados em função da Olimpíada”.

O processo corre em sigilo, a pedido da própria Light. A distribuidora e a Aneel não revelaram o valor da revisão pleiteada. A expectativa da distribuidora de energia é que a revisão esteja na pauta da reunião semanal da agência reguladora, marcada para o dia 2 de agosto.

Ana Marta Horta Veloso comentou sobre o pedido durante uma reunião fechada, na tarde de segunda-feira (25), no Ministério de Minas e Energia, em Brasília. Participaram representantes do governo federal e das empresas distribuidoras e transmissoras de energia.

De acordo com a Light, o sistema elétrico da cidade do Rio de Janeiro recebeu R$ 909,9 milhões em investimentos, sendo R$ 465,9 milhões do governo federal, e R$ 444 milhões foram feitos diretamente pela empresa. O ministério informou que o governo investiu R$ 520 milhões em instalações elétricas no Rio de Janeiro e nas cinco cidades que receberão os Jogos Olímpicos. Em nota, a Light informou que "os recursos próprios da Light em obras diretamente relacionadas às Olimpíadas somam cerca de R$ 400 milhões, sendo que a remuneração destes recursos, dentre outras questões, faz parte do pedido de Revisão Tarifária Extraordinária [RTE] entregue à Aneel.

Operação especial

Durante a reunião, empresários e gestores públicos detalharam a operação especial que estará em vigor durante o mês de agosto. As empresas vão suspender os desligamentos programados para obras e manutenção em todas as cidades que receberão a Olimpíada.

A operação começará 48 horas antes de cada jogo e terminará 24 horas depois da partida. Nesse intervalo, vão ocorrer apenas intervenções de emergência. Somente no Rio de Janeiro, a operação será contínua, do dia 1º até 23 de agosto, para a Olimpíada, e de 5 a 20 de setembro, para a Paralimpíada.

A medida vale para os municípios do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Manaus e para o Distrito Federal. No caso de falta de energia, os locais de competição terão prioridade.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Lúcio Flávio Pinto

A queimada da Volks

A queimada da Volks

Belém (PA)Hoje, 35 anos depois do incêndio recorde da Volks (que nunca mais voltou a pensar em montar bois), a alteração se aproxima de 20% da superfí

O réquiem do STF

O réquiem do STF

A sessão de ontem foi uma das mais lamentáveis e tristes da história do Supremo Tribunal Federal.

Sinais de intranquilidade

Sinais de intranquilidade

Grande parte da instabilidade que o país vive atualmente decorre de iniciativas do próprio Bolsonaro e dos seus filhos

Chico Mendes: 30 anos do assassinato do líder seringueiro

Chico Mendes: 30 anos do assassinato do líder seringueiro

Chico Mendes está sendo lembrado no mundo inteiro pelos 30 anos do seu assassinato.