Porto Velho (RO) sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

José Carlos Sá

As origens do sincretismo religioso em Porto Velho


As origens do sincretismo religioso em Porto Velho - Gente de Opinião

Os estudantes da História Regional têm mais uma fonte de consultas para as pesquisas sobre a formação cultural da nossa população, agora sob o ponto de vista da religiosidade, desde as influências africanas às igrejas neo pentecostais. A obra “Cristianismo e religiões de matriz africana: aspectos do sincretismo religioso em Porto Velho, Rondônia”, de Dante Fonseca, Josué Passos de Melo (organizadores), Marta Valéria de Lima e Luciano Leal da Costa Lima (co-autores), acaba de ser lançada pela editora Nova Rondoniana (2018).

O livro é dividido em nove capítulos abordando o tema sob vários aspectos, como por exemplo, no capítulo três, em que o professor Josué Passos de Melo aborda os aspectos da cultura religiosa e do sincretismo em nossa cidade, “a partir da leitura de obras produzidas ao longo do século XX, lançando um olhar sobre o encontro das religiões da cristandade, africanas e indígenas e da influência desse encontro sobre a religiosidade em Porto Velho”.



Em sentido horário: Dante, Josué, Luciano e Marta (Fotos divulgação)

 

Sobre os autores, “professores doutores Dante Fonseca e Marta Lima e professores mestres Josué Melo e Luciano Lima, têm suas carreiras de pesquisadores vinculadas à Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), os dois primeiros como professores do Departamento de História e os mestres seguintes, egressos dos cursos de graduação e pós-graduação em História da mesma universidade”.

O livro pode ser adquirido nas boas casas do ramo ou pelo endereço eletrônico livrosrondoniana@gmail.com

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre José Carlos Sá

Os Alfarrábios do Hokney

Os Alfarrábios do Hokney

Tive o privilégio de folhear os originais do livro que possivelmente se chamará “Porto Velho – De Pimentel a Valadares”. A pesquisa vem feita há anos

Gente que chega, gente que sai

Gente que chega, gente que sai

De fevereiro de 2015 a 14 de dezembro de 2018, a jornalista Marcela Ximenes trabalhou na edição de conteúdo da Superintendência de Comunicação (quando

Depuração

Depuração

566 servidores públicos federais foram expulsos por irregularidades

Se foi pra desfazer, por que que fez?

Se foi pra desfazer, por que que fez?

Vamos tentar contar a história desse desperdício de dinheiro