Porto Velho (RO) quarta-feira, 13 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

João Paulo

Somos UNIR e votamos ARI!



Ari Miguel Teixeira Ott, ou apenas Ari Ott, é um dos indivíduos cuja trajetória pessoal, acadêmica, e intelectual, é uma das mais fantásticas que conheci na vida. Filho de pai alemão, e mãe brasileira, nascido em Salvador, na década de 1950, o professor Ari Ott formou-se em medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), tendo se especializado em psiquiatria. Recém formado, partiu para Universidade de Brasília (UnB), no final dos anos 1970, para cursar o mestrado em Antropologia, sendo orientado por Roberto Cardoso de Oliveira, que ao lado de Darcy Ribeiro é considerado fundador da disciplina no Brasil.

Com o título de mestre em Antropologia, Ari Ottchegou nas terras de Rondon no início dos anos 1980, para coordenar uma pesquisa sobre a situação de saúde dos migrantes atraídos pelo POLONOROESTE. A partir daí, se dedicou ao estudo da Amazônia, com especial interesse sobre as comunidades indígenas, concentrando suas pesquisas na área de saúde indígena, bem como nos estudos relacionados ao ecossistema amazônico.  Nesse período, tornou-se um grande crítico das atividades predatórias da Amazônia, travando inúmeras batalhas contra o garimpo no Rio Madeira e a contaminação pelo mercúrio. Em 2002, Ari Ottobteve seu doutoramento em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com a tese “Dos projetos de desenvolvimento, ao desenvolvimento dos projetos: o PLANAFLORO em Rondônia”.

Na Universidade Federal de Rondônia, onde ingressou em 1985, Ari Ott ocupou vários cargos de gestão, entre eles o de Vice-Reitor e, atualmente, o de Pró-Reitor de Pós-graduação ePesquisa, na gestão da Magnífica Reitora Profa. Berenice Tourinho. No início da década de 1990, ele foi eleito Reitor da UNIR, mas uma intervenção política das forças conservadoras à época o impediu de assumir o cargo.

Em 2011, o professor Ari Ottfoi uma das lideranças oposicionistas que encabeçou um importante movimento contrário a uma gestão desastrosa, que envergonhou a nossa Universidade perante a sociedade rondoniense e brasileira. Sua luta, e de um grupo progressista, teve como desfecho a renúncia de um reitor, e a eleição da professora Berenice Tourinho. A virtuosa administração da professora Berenice se consolidou pela transparência e o respeito à Res Pública, recuperando a confiança e a admiração dos cidadãos rondonianos pela nossa UNIR. É inegável que poucas pessoas conhecem tão profundamente a nossa Academia como o professor Ari Ott.

Ciente de que ele postula o cargo de Magnífico Reitor, não tenho dúvida de que Ari Ott se evidencia como o melhor nome, capaz de dar continuidade e aprofundar o trabalho e os ganhos da atual gestão. Nesse contexto, esse baiano, rondoniano, médico e antropólogo, que adotou Rondônia como sua terra, e seu apaixonou pelos índios da Amazônia, será por nós eleito o Reitor da nossa Universidade. Desse modo, conclamo toda comunidade acadêmica: no dia 30 de março, somos UNIR e votamos Ari!

João Paulo Saraiva Leão Viana é professor de Ciência Política do DCS/UNIR

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre João Paulo

Sobre o direito de resposta concedido a Expedito Jr. ontem no debate da Bandeirantes/Faculdade Sapiens

Sobre o direito de resposta concedido a Expedito Jr. ontem no debate da Bandeirantes/Faculdade Sapiens

Ontem no debate Expedito Jr. (PSDB) teve garantido direito de resposta, depois que o Coronel Marcos Rocha (PSL) afirmou que Expedito teve o mandato de

Robert Michels, os partidos e as eleições 2018 em Rondônia

Robert Michels, os partidos e as eleições 2018 em Rondônia

Nas eleições de 2014 ao governo rondoniense, o então governador e candidato à reeleição, Confúcio Moura (PMDB) venceu, por uma pequena margem de votos

MÍDIA NACIONAL: Legislativo, Executivo e o retorno da instabilidade política em Rondônia

MÍDIA NACIONAL: Legislativo, Executivo e o retorno da instabilidade política em Rondônia

ESTADÃO - A Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE-RO) vivenciou nos últimos quinze anos os episódios mais turbulentos de sua jovem históri