Porto Velho (RO) sábado, 22 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Confúcio Moura

Confúcio Moura: O que fui fazer em Valadares?


Dia seguinte à viagem inesquecível, levantei-me às 6 h, calção e camisete e fui para o meu Cooper pelas ruas da cidade quase inatingível. Aí eu vi que Governador Valadares é bem escondida, justamente, para não ser vista facilmente. Bela cidade. Quase 300 mil habitantes.

Fui visitar um consórcio de saúde composto de 33 municípios do Vale do Rio Doce. Para o mesmo evento estavam o Prefeito Charles, de Vale do Paraíso, Vitorino Cherquer de Mirante da Serra, Jean dos Muletas nem preciso falar de onde é, José Ribeiro de Presidente Médice, dois técnicos do Tribunal de Contas de Rondônia, Edson e Paulo. Tudo muito simples, casa alugada, alpendres cheios de gente de toda região. Os pacientes chegam de todas as cidades e são encaminhados para as diversas clínicas da cidade. Parte é atendida ali mesmo.

O Presidente do Cisdoce (Consórcio de Saúde do Vale do Rio Doce) é o Prefeito Edson, me esqueci o sobrenome, agradável, como um bom mineiro. Foram chegando várias prefeitos da região.O certo é que todos estão satisfeitos, maioria reeleita. A saúde na região não é problema grave, está sob controle. O Cisdoce foi a solução conjunta que eles encontraram.

Creio que em Rondônia, para reduzir a quantidade de pacientes encaminhados à capital, os consórcios regionais de saúde ajudarão e muito aos municípios e ao próprio povo. Percebi que no Brasil inteiro, cada região vai dando um jeito de resolver a situação dramática da saúde pública, como muita criatividade. Voltei com a cabeça melhor, entendendo que é possível melhorar e muito a saúde pública de Rondônia, com inúmeras alternativas que irei colocando em prática no decorrer do tempo.

Fonte: Blog do Confúcio
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Confúcio Moura

Urus e Pacaás

Urus e Pacaás

Vou inventar um nome aqui. Aliás, nomes. Porque falar em manter reserva de índio, florestas nacionais ou parques é motivo para ser assassinado. O no

Histórias inacreditáveis

Histórias inacreditáveis

Contar história é também uma arte e um ofício. E cada pessoa, depois de alguns “janeiros” nas costas, vai olhando pra trás e vê pelo retrovisor – a

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 60

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 60

Falei no capítulo 59 que daria um tempo para continuar com a série. Se não fizer esta pausa, terminarei repetindo demais, indo e voltando. Estou ven

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 59

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 59

Temos um ano, apenas, de convivência com o coronavírus (Covid-19). E o esforço tem sido enorme pelos profissionais de saúde para, pouco a pouco, ire