Porto Velho (RO) sábado, 22 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Confúcio Moura

Confúcio Moura: É mais que um hospital



É um hospital, parece hospital, tem tudo de hospital, mas, é mais que hospital. O diferencial é que tudo ali, nos seus 70 000 metros quadrados é baseado em dos princípios: ambiente de conveniência para funcionários, visitantes, motoristas e Humanização para os doentes de câncer.

Das 8 h às 17 h, com intervalo para almoço, foi entrando e saindo de salas. e vendo o modelo de gestão com servidores que trabalham em regime de dedicacão exclusiva, foco em resultados máximos, serviços médicos rígidos com protocolos formalizados. Tem mais – pesquisa cientifica e tudo aberto para formação continuada de profissionais da saúde.

Um prédio moderno e reluzente abriga milhões de euros em equipamentos de alta tecnologia, para preparação de profissionais de saúde, principalmente médicos cirurgiões, para manejo técnico nas cirurgias laparoscópicas do aparelho digestivo. E vai além com o doente de câncer em estado terminal – tem o Hospital São Judas Tadeu destinado a prestação de cuidados paliativos. Onde tudo foi pensado para deixar o doente integrado com a família até o fim da vida.

Conclusão – O Hospital de Barretos estará dentro de RONDONIA. Em Porto Velho administrará a ala do câncer dentro doHospital de Base. A primeira fase ainda este ano. A segunda, mais ampliada, ano que vem. E na cidade de Ji-Paraná. Encontrei-me com pacientes de Costa Marques, ARIQUEMES, Cacoal e Porto Velho. Nossa gente está aqui, distante de de suas casas, mas, muito bem tratadas. Meu objetivo é que sejam igualmente tratadas perto de casa.

Fonte: Blog do Confúcio

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Confúcio Moura

Urus e Pacaás

Urus e Pacaás

Vou inventar um nome aqui. Aliás, nomes. Porque falar em manter reserva de índio, florestas nacionais ou parques é motivo para ser assassinado. O no

Histórias inacreditáveis

Histórias inacreditáveis

Contar história é também uma arte e um ofício. E cada pessoa, depois de alguns “janeiros” nas costas, vai olhando pra trás e vê pelo retrovisor – a

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 60

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 60

Falei no capítulo 59 que daria um tempo para continuar com a série. Se não fizer esta pausa, terminarei repetindo demais, indo e voltando. Estou ven

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 59

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 59

Temos um ano, apenas, de convivência com o coronavírus (Covid-19). E o esforço tem sido enorme pelos profissionais de saúde para, pouco a pouco, ire