Porto Velho (RO) terça-feira, 18 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Amazônia first + Maioria folgada + Calcanhar de Aquiles + Mais prestígio


Amazônia first + Maioria folgada + Calcanhar de Aquiles + Mais prestígio - Gente de Opinião

Amazônia first

Talvez o governo já tenha aprendido finalmente que brigas, insultos e ironias não funcionam como soluções, espelhando-se na dramática situação de guerra interna vivida pelo PSL, partido pelo qual o presidente Jair Bolsonaro se elegeu.

Como sinalizou o vice-presidente Hamilton Mourão ao destacar os pontos de unidade entre o governo e a Igreja Católica, deve-se encaminhar situações difíceis para um diálogo produtivo: amarrar o que pode unir e avaliar com sabedoria como superar as divergências quanto ao que ficar de fora.

De pronto, para cessar a sangria de recursos no Fundo Amazônia e trazer investimentos de retorno rápido à região, é possível unir o país em torno da ideia de fazer da região o “Vale do Silício da biodiversidade”, sugestão de impacto que seria mais propriamente definida como “polo de bioeconomia”.

Melhor que o nome eventualmente escolhido, importa que surja de imediato um consenso capaz de devolver as esperanças aos empresários, trabalhadores, investidores e desempregados.

É urgente vencer o desalento criado pela polarização tóxica e brigas que só levam a mais prejuízos, atrasos e incompreensões. Se os brigões não criarem juízo, o Brasil será arrastado pelo declínio da economia mundial, primeira consequência da guerra comercial entre EUA e China. “Amazônia first” será para os brasileiros ainda melhor que “Silicon Valley” para os EUA.

.....................................................

Maioria folgada

As ultimas matérias aprovadas na Assembléia Legislativa, inclusive a suplementação orçamentária a toque de caixa, demonstram claramente que o governador Marcos Rocha (PSL) conta com maioria folgada na Casa de Leis.  Contrariando observadores, mesmo com os tapas e beijos iniciais entre os parlamentares e a Casa Civil, a articulação no campo político do CPA tem funcionado. E olhe que já se falou inicialmente até em impeachment...

Pelo controle

No governo passado, o alvo da classe política rondoniense era os bufalos que com um crescimento populacional descontrolado causavam sérios problemas aos produtores no Vale do Guaporé, na rota dos santos, de São Francisco a São Miguel de São Domingos a Costa Marques, etc. Agora, os políticos se voltam contra a superpulação de capivaras que está causando acidentes nas estradas e também devorando plantações no Vale do Jamari, região de Ariquemes.

Os ex-prefeitos

Ex-prefeitos, em ocasiões distintas em Porto Velho, desde o inicio da criação do estado em 81, Francisco Paiva, Sebastião Valadares, José Vieira Guedes, Carlinhos Camurça e Roberto Sobrinho não sinalizam mais apetite pelo poder. Mas Mauro Nazif já esta afiando as garras para uma grande revanche contra o atual prefeito Hildon Chaves e o deputado federal Leo Moraes no ano que vem.

Calcanhar de Aquiles

A saúde segue como um calcanhar de Aquiles para os governadores de Rondônia. Foi assim na era Cassol, nos anos de Confucio e os problemas continuam na gestão do governador Marcos Rocha. As reclamações quanto à demora nas cirurgias no HB e no atendimento no Pronto Socorro João Paulo II tem aumentado e as alegações continuam as mesmas das gestões passadas: grande demanda causada pelo interior, estados e países vizinhos etc e tal.

Mais prestígio

Seja na era petista com os irmãos Viana, ou atualmente com Gladson Cameli, o Acre historicamente consegue obter mais recursos para seu estado do que Rondônia. Na Amazônia, Cameli é o governador mais peróximos de Bolsonaro – lá foi a maior vitória do presidente em termos percentuais em todo país – e é convidado até para as viagens ao exterior. Nosso auge foi na era petista, com duas usinas hidrelétricas e mais a ponte no Madeirão.

 

Via Direta

*** Algumas lideranças expressivas nas décdas passadas em Rondônia, como José Bianco, Amir Lando e Oestes Muniz se tornaram consultores das novas gerações *** São experiências importantes que devem ser assimiladas pelas lideranças mais jovens *** Estão acelerados os preparativos para a inauguração do novo Shopping de Porto Velho marcado para dezembro *** Os Gonçalves estão preparando promoções de Natal para a ocasião lá nas bandas da Zona Leste *** Quem anda meio sumido nos meios políticos é o ex-deputado federal Nilton Capixaba, presidente estadual do PTB *** Já na ponteira nas primeiras sondagens para a peleja 2020 em Nova Mamoré, o professor Herbert Lins de Albuquerque curte um bom momento naquela região *** Mas, infelizmente suas asas já foram aparadas pelos dirigentes partidários *** Ora, porque não deixam esta andorinha voar? *** Em Vilhena, o prefeito Eduardo Japonês costura uma poderosa aliança para enfrentar mais uma vez o Clã Donadon em 2020. Será a “nega”, o chamado tira-teima.

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Magia por consenso + Troca-troca + Farra partidária + Uma revoada

Magia por consenso + Troca-troca + Farra partidária + Uma revoada

Magia por consensoNa Escola de Magia e Bruxaria do Brasil, localizada no interior de São Paulo, há um confuso “quadribol” jogado com cinco bolas, c

Da ficção à realidade + Levas de deportados + A cariocarização das facções + A militarização

Da ficção à realidade + Levas de deportados + A cariocarização das facções + A militarização

Da ficção à realidadeO sonho de extrair minérios abundantes e caros das terras indígenas tromba com o pesadelo mundial de que a degradação da Amazô

Expedito e Ivo pulam cirandinha + A cobiçada Amazônia + Vai que cola! + É candidatíssimo!

Expedito e Ivo pulam cirandinha + A cobiçada Amazônia + Vai que cola! + É candidatíssimo!

A cobiçada AmazôniaSerá ridículo um bafafá internacional entre militares brasileiros e franceses por conta do vazamento da “minuta sigilosa” na qual a

Faltam cobradores + Reação tucana + Os rios voadores + Urrando, gente!

Faltam cobradores + Reação tucana + Os rios voadores + Urrando, gente!

Faltam cobradoresNo início da Operação Lava Jato, a população esperava que, além de presos, os corruptos devolveriam o que roubaram. Pouco foi recu