Porto Velho (RO) domingo, 19 de maio de 2019
×
Gente de Opinião

Abnael Machado

YARAS DO RIO MADEIRA - Por Abnael Machado


 A Yara e a Sereia possuidoras de idênticas magias, encantos, poderes e seduções, fisicamente são totalmente diferentes. A sereia é mulher da cintura para cima, com todos órgãos anatômicos femininos, e da cintura para baixo é peixe. Habita os oceanos e mares.

Homero poeta grego cego, em suas composições líricas Ilíada e Odisseia narra que Ulisses e seus companheiros vindos da guerra de Troia, vagaram durante dez anos pelos mares, entre esses, o das sereias no qual Ulisses ordenou que o amarrasse no mastro do navio a fim de não ser arrebatado para as profundezas das águas, seduzido pelo mavioso canto das sereias.

A Yara é uma belíssima mulher de corpo sedutor, abundante cabeleira variando de loura, ruiva e negra, olhos também variando de azuis, verde, castanhos e negros. Seios firmes de tamanhos proporcionais ao busto, coxas e pernas perfeitamente torneadas, habitam os rios, lagos, igarapés e lagoas dos quais nas horas silenciosas do dia e nas noites de plenilúnio emerge e senta-se nas suas margens, penteando seus longos e sedosos cabelos, mirando-se no espelho líquido aos seus pés, vaidosa de sua beleza, nesses momentos canta com sua voz doce embriagadora e melodiosa de poder mágico de atrair e paralisar os homens, e os levar para o seu reino nos fundos das águas, no qual passarão a serem seduzidos como seus amantes e seus escravos.

No Rio Madeira tem-se notícias do aparecimento de Yaras na ex-cachoeira de Santo Antônio, imputando-lhes os desaparecimentos de vários banhistas e incautos pescadores. Contava um caribenho, residente em Santo Antônio, que numa noite pescava na cachoeira, a viu emergindo do rio, sentando-se em uma das rochas, começando cantar. O som da melodia o estonteava juntou seu petrecho recolheu-se a sua barraca, porém não conseguiu dormir.

Na foz do Rio Jamari contam pescadores, terem visto duas Yaras. Uma acompanhada por um circulo de botos rodeando-a, executando um balé a divertindo. A outra a costuma aparecer sentada num dos galhos das árvores das margens do rio. A noite são iluminados por multicolorida luz.

Em Carapanatuba (médio Madeira), num poção de águas límpidas, mora uma Yara diferente das outras, por sua cabeleira ser branca. Diverte-se toldando-o as águas impedindo as lavagens de roupas pelas lavadeiras, como também apavorando os homens quando no final do dia veem se banhar, emergindo inesperadamente, os pondo a correr meios vestidos uns e nus outros.

Os curandeiros pajés para libertarem seus clientes das magias da Yara, os benzem, os banham com infusão de folhas de arruda e cidreira, flores de manjericão e mucuracaá. Os banhos dados na beira do rio em três luas cheias. Recomendação à família mantê-los vigiados, resguardando-os a não mergulharem em rio em busca da Yara, até ficarem plenamente curados.

-( Nota do autor, a Yara habita os rios da a Amazônia).           

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Abnael Machado

A PRAÇA DAS TRÊS CAIXAS  DÁGUAS - Por Abnael Machado

A PRAÇA DAS TRÊS CAIXAS DÁGUAS - Por Abnael Machado

  No projeto urbanístico da cidade de Porto Velho, planejado pelo prefeito FRANCISCO LOPES PAIVA, gestor no período de 1979/1980, nomeado pelo Governa

EXCURSÃO NO RIO CANDEÍAS - Por Abnael Machado

EXCURSÃO NO RIO CANDEÍAS - Por Abnael Machado

Eu e meus companheiros docentes do Colégio Mal. Castelo Branco, projetamos realizamos uma excursão no Rio Candeias, no trecho compreendido entre a BR

INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CARMELA DUTRA - Por Abnael Machado

INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CARMELA DUTRA - Por Abnael Machado

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});   Em sessão solene realizada no dia 14 de dezembro, do corrente ano em curso, seus gestores Vera Lú

SAMUEL CASTIEL JUNIOR O MÉDICO POETA E CRONISTA - Por Abnael Machado

SAMUEL CASTIEL JUNIOR O MÉDICO POETA E CRONISTA - Por Abnael Machado

No memorial Jorge Teixeira, em noite de gala, o acadêmico membro efetivo da Academia de Letras de Rondônia, o poeta e cronista Samuel Castiel Júnior,