Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Abnael Machado

REMINISCÊNCIAS


 

Prof° Abnael machado de Lima

Origem da Cidade e Município de Porto Velho

Nos anos iniciais do século XXI ( século vinte um ), completaram um centenário lembrados ou esquecidos os seguintes acontecimentos:

I – Construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, iniciada a 04 de julho de 1907, no Ponto Velho ou Porto do Velho, a sete quilômetros abaixo da Cachoeira do Santo Antônio do alto Rio Madeira, de propriedade do Coronel José da Costa Crespo produtor de borracha, concluída em 30 de abril e oficialmente inaugurada em 1 de agosto, ambos eventos em 1912 na localidade de Guajará Mirim, fronteira com a República da Bolívia. Obra realizada pela empresa Norte-Americana May Jekyll and Rondolph contratada pelo empresário norte-americano Percival Farquar. Foi desativada em 1972, já sob a administração do governo federal, desde 10 de julho de 1931, por disposição do Decreto 20.200. Na década de 1980, seu patrimônio foi salvo de total destruição sendo transformado em museu ferroviário.

II – Surge em 1907 o povoado de Porto Velho dos brasileiros, próximo as instalações da Madeira-Mamoré ( povoado dos norte-americanos ), instalado por indivíduos desvinculados com a empresa estrangeira. Esses deram origem o atual município de Porto Velho, a qual completou um centenário em 2007.

III – Linha Telegráfica Estratégica Mato Grosso / Amazonas, interligando Cuiabá já ligada à Rio de Janeiro/ RJ, a Santo do Alto Madeira, construção sob chefia do então Major do Exercito Cândido Mariano da Silva Rondon, teve o inicio sua construção em 1907, alcançando Vilhena em 1909, e desta, Santo Antônio do rio Madeira, no dia 31 de dezembro deste citado ano. Em torno dos postos telegráficos surgiram as atuais cidades de Vilhena, Pimenta Bueno, Presidente Médici, Ji-Paraná e Ariquemes. Sobre o picadão da linha telegráfica foi assentada a rodovia 364 ( Brasília/DF/Rio Branco/AC ).

IV – Instalada no povoado  de Porto Velho dos brasileiros no dia 26 de julho de 1910, uma agência postal chefiada pelo agente Felinto Costa. Atual Correios e Telégrafos.

V – Termo Judiciário de Porto Velho anexo a Comarca de Humaitá, criado pela Lei n° 741, de 30 de outubro de 1913, sancionada pelo governador do Estado do Amazonas, Dr. Jonathas de Freitas Pedrosa. Instalado no povoado de Porto Velho no dia 30 de janeiro de 1914, sendo nomeado Dr. Nataniel de Albuquerque no cargo de Juiz de Justiça Municipal. Este Termo originou a estrutura Judicial de Rondônia.

VI – Coletoria de rendas instalada no povoado de Porto Velho, em 21 de agosto de 1913, chefiada pelo coletor Miguel Rodrigues Souto. Originário da atual Delegacia da Receita Federal.

VII – Primeiro suicídio ocorrido em Porto Velho, foi autora a formosa pernambucana Lydia Xavier de Lima, de apenas 28 anos de idade em consequência de desavença amorosa ingeriu sublinado corrosivo, envenenando-se. Seu amante um dos diretores da Madeira- Mamoré, precavendo-se de escândalo o envolvendo, enternou-a no Hospital Candelária, no qual faleceu às três horas da tarde do dia 8 de janeiro de 1914, sendo neste mesmo dia sepultada no cemitério da Candelária, conforme consta no atestado de óbito do obituário número 48 arquivado na Secretaria  de Estado da Cultura. No seu jazigo a inscrição fúnebre “ Lydia Xavier, Age 28 Died Jan’1914”. Esta do mesmo nível do reservado aos funcionários norte-americanos de elevadas categorias na Empresa. ( Mistério ) Lydia a exceção, a única mulher brasileira sepultada em área exclusiva dos falecidos de elite da Madeira-Mamoré. Porque ?

VIII – Município de Porto Velho criado por intermédio de Lei n°757 de 2 de outubro de 1914, sancionada pelo governador do Estado do Amazonas, Dr. Jonathas de Freitas Pedrosa, sediado no povoado de Porto Velho, instalado no dia 24 de janeiro de 1915 sob a administração do Major reformado do exercito, Fernando Guapindaia de Souza Brejense, no período de janeiro de 1915 a 31 de dezembro de 1916. Semente viçosa do pujante Estado de Rondônia.

IX -  Escola Mista Municipal “ Jonathas Pedrosa”, criada pela Lei municipal n°5 de 1 de março de 1915, tendo como docente e diretora a professora Teivelinda Guapindaia. Primeiro estabelecimento público de ensino do Município de Porto Velho, originalizador do sistema educacional da atualidade.

X – Delegacia de policia de Porto Velho, criada pelo governador do Estado do Amazonas Dr. Jonathas de Freitas Pedrosa em 1 de fevereiro de 1915 nomeado para o cargo de Delegado o Tenente Aristede Leite. Origem da atual Secretaria de Segurança Pública.

XI – Diretório municipal do Partido Republicano Conservador / PRC, instalado em Porto Velho em 1915, pelo senhor José Vieira Braga, por este presidido. Foi o PRC a primeira agremiação politica partidário atuante no município de Porto Velho.

XII – Candomblé chegou a Porto Velho em 1916, trazido pela Mãe-de-Santo Esperança Rita a qual fundou a irmandade de Santa Bárbara sediada em Terreiro no bairro Mocambo. Posteriormente transferida para o espaço do atual bairro de Santa Bárbara. A associação religiosa e filantrópica permanece mantida em atividade por seus adeptos.

XIII – Loja Maçônica União e Perseverança fundada em 14 de julho de 1916, pelo maçom José Pordeus Alencar, na vila de Presidente Marques/MT, atual Abunã, transferindo-a para a cidade de Porto Velho/AM. Comemorou seu centenário de relevantes serviços à comunidade Rondoniense.

XIV – Primeiro pleito politico eleitoral realizado em Porto Velho, eleições municipais, em 1 de dezembro de 1916, para os cargos de Superintendente ( Prefeito ), Intendentes e Suplentes de intendentes  ( vereadores ), estes constituíam o conselho Municipal ( Câmara ).
- Dr. Joaquim Augusto Tanajura, primeiro Superintendente eleito.
- Álvaro Dantas Paraguassu, primeiro Intendente eleito Presidente do Conselho Municipal.
Ambos eleitos pelo PRC, com mandatos no período de 1 de janeiro de 1917 a 31 de dezembro de 1919.



- Destaque especial exaltando o jornal Alto Madeira e seu intrépido condutor, antecipadamente, pelo transcurso do seu centenário, no dia 15 de abril de 2017, sempre prestando relevantes serviços sócias, culturais e políticos desde sua fundação em 1917, em prol do progresso de todos segmentos estruturais e culturais de Rondônia.     

ABNAEL MACHADO DE LIMA
Membro efetivo da Academia de Letras de Rondônia
e do Instituto Histórico e Geográfico de Rondônia
Prof° de História do Amazonas na Universidade  Fed. Do Pará                

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Abnael Machado

A PRAÇA DAS TRÊS CAIXAS  DÁGUAS - Por Abnael Machado

A PRAÇA DAS TRÊS CAIXAS DÁGUAS - Por Abnael Machado

  No projeto urbanístico da cidade de Porto Velho, planejado pelo prefeito FRANCISCO LOPES PAIVA, gestor no período de 1979/1980, nomeado pelo Governa

YARAS DO RIO MADEIRA - Por Abnael Machado

YARAS DO RIO MADEIRA - Por Abnael Machado

 A Yara e a Sereia possuidoras de idênticas magias, encantos, poderes e seduções, fisicamente são totalmente diferentes. A sereia é mulher da cintura

EXCURSÃO NO RIO CANDEÍAS - Por Abnael Machado

EXCURSÃO NO RIO CANDEÍAS - Por Abnael Machado

Eu e meus companheiros docentes do Colégio Mal. Castelo Branco, projetamos realizamos uma excursão no Rio Candeias, no trecho compreendido entre a BR

INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CARMELA DUTRA - Por Abnael Machado

INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CARMELA DUTRA - Por Abnael Machado

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});   Em sessão solene realizada no dia 14 de dezembro, do corrente ano em curso, seus gestores Vera Lú