Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Abnael Machado

25 DE AGOSTO - DIA CONSAGRADO AO DUQUE DE CAXIAS


 

Luiz Alves de Lima o soldado, cidadão cívico exemplar, dedicado a servir com denodo e lealdade à pátria, jamais contrariando os princípios disciplinares regentes do exercito. Assim sendo, nunca rebelou-se contra o governo, contra as instituições legais instituídas pela Carta Magna do País.

Sua fulgente trajetória militar, executiva civil e política dedicada a servir com brio, dignidade, bravura e patriotismo o Brasil.

Soldado desde criança, se sobrepõe aos demais galgando todos postos da carreira militar, distinguido com condecorações e títulos honoríficos, por mérito e reconhecimento aos valorosos serviços prestados.

Postos  Militares:

Alferes, em 1818;
Tenente, com 18 anos de idade, em 1821;
Capitão, em 1824;
Major, em 1828;
Tenente Coronel, em 1837;
Coronel, em 1839;
General, em 1842;
Tenente General, em 1845;
Marechal de Campo Efetivo – 1845;
Marechal Graduado – 1852.

Missões bélicas e pacificadoras:

- Expulsar da Bahia o general português Madeira de Melo que se opunha a reconhecer a independência do Brasil. Luta armada travada no período de 3 de maio a 3 de junho de 1823, sendo derrotado o general Madeira, destacando-se por sua bravura, sendo-lhe concedido pelo Governo o Hábito do Cruzeiro, uma das mais altas recompensas militares;

- Debelar na Cisplatina (Uruguai) a luta armada entre o general Francisco Lecor, partidário de Dom Pedro I, e o general Álvaro Costa, contrário à independência, fiel a Portugal, confronto sob seu comando ocorre nos anos de 1826 e 1827, derrotando, o general Álvaro, pacificando a Cisplatina. Por sua denodada ação, lhe foi concedido o Hábito de Aviz e no ano seguinte, 1828, a Ordem da Rosa;

- Por termo ao confronte bélico entre Cabanos e Bem-te-vis, denominado Balaiada, travado no período de 1839 a janeiro de 1841, na província do Maranhão, conseguindo apaziguar os ânimos, estabelecendo a ordem e a paz. Recebe em recompensa o título de Barão de Caxias;

- Pacificar os revoltosos de Sorocaba/SP, em 1842, o que conseguiu, os derrotando em trinta dias. Segue para Barbacena/MG, aliada de São Paulo, também os derrotando, dando por finda a Revolução.

- Pacificar o Rio Grande do Sul, em guerra havia dez anos contra o governo imperial, os republicanos (farroupilhas) dominavam grande espaço da Região Sul. Assumindo o governo da província e o comando do exercito, em 1842, após renhidos combates, conseguiu vencer dando pacificada, em 1845, a província gaúcha.

- Reprimir o audacioso plano do Uruguai (Oribe) e da Argentina (Rosas), aliados, de anexarem o Paraguai. Derrota Oribe, em 1851 e Rosas, em 1852, ocupando Buenos Aires. Declarando findas as hostilidades. Lhe é outorgado o título de Marques de Olinda.

- Guerra do Paraguai iniciada em 1865, é nomeado Comandante em Chefe, em 1866, vitorioso em decisivas batalhas tais como Humaitá, Chaco, Itororó, Avaí, Lomas, Valetina. Em 1869 ocupa Assunção, Capital do Paraguai, transfere o comando para o Conde D’Eu, retirando-se doente para o Rio de Janeiro. Sendo agraciado com a medalha do Mérito Militar e o título de Duque de Caxias.

Cargos Executivos exercidos:
Presidente da Província do Maranhão (1839/1845);

Presidente da Província do Rio Grande do Sul (1842/1845);

Presidente da Província do Rio Grande do Sul, pela segunda vez (1851/1852);

Ministro de Guerra (1855);

Conselheiro do Conselho do Império (1856); e pela segunda vez em (1861);

Conselheiro de Guerra (1858);

Presidente do Conselho do Império e Ministro da Guerra (1875).

Cargo político:
Senador do Império filiado ao partido Conservador (1845).

Considerando cumprido o dever assumido de servir o Brasil retirou-se da vida pública, aos setenta e sete anos de idade, falecendo em 1880.

Caxias foi o mais valoroso e audaz soldado, o mais sutil diplomata e o mais competente e correto gestor público. Era um patriota sua vida foi dedicada à construção do bem estar social, da segurança e da soberania da Pátria.

Em reconhecimento aos seus méritos, foi designado Patrono do Exercito Brasileiro, extensivo a todos nós filhos desta magnânima nação.


Em: 25/08/2016                                            

         

Abnael Machado de Lima
Membro efetivo da Academia de Letras de Rondônia
e do Instituto Histórico e Geográfico de Rondônia
Prof° de História do Amazonas na Universidade  Fed. Do Pará

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Abnael Machado

A PRAÇA DAS TRÊS CAIXAS  DÁGUAS - Por Abnael Machado

A PRAÇA DAS TRÊS CAIXAS DÁGUAS - Por Abnael Machado

  No projeto urbanístico da cidade de Porto Velho, planejado pelo prefeito FRANCISCO LOPES PAIVA, gestor no período de 1979/1980, nomeado pelo Governa

YARAS DO RIO MADEIRA - Por Abnael Machado

YARAS DO RIO MADEIRA - Por Abnael Machado

 A Yara e a Sereia possuidoras de idênticas magias, encantos, poderes e seduções, fisicamente são totalmente diferentes. A sereia é mulher da cintura

EXCURSÃO NO RIO CANDEÍAS - Por Abnael Machado

EXCURSÃO NO RIO CANDEÍAS - Por Abnael Machado

Eu e meus companheiros docentes do Colégio Mal. Castelo Branco, projetamos realizamos uma excursão no Rio Candeias, no trecho compreendido entre a BR

INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CARMELA DUTRA - Por Abnael Machado

INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CARMELA DUTRA - Por Abnael Machado

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});   Em sessão solene realizada no dia 14 de dezembro, do corrente ano em curso, seus gestores Vera Lú